ANO: 23 | Nº: 5812
12/10/2017 Segurança

Prefeito de Candiota declara emergência na segurança pública

Foto: Divulgação

Comitiva entregou dossiê que aponta demandas do município
Comitiva entregou dossiê que aponta demandas do município

O prefeito de Candiota, Adriano Castro dos Santos, do PT, decretou situação de emergência na segurança pública, na terça-feira. Em visita à Secretaria Estadual de Segurança Pública, o chefe do Executivo, acompanhado por vereadores, entregou um dossiê que relata condições de infraestrutura e aponta demandas do município. “Estamos em uma situação horrível, com pouco policiamento. Em um final de semana tivemos três assaltos à mão armada, com reféns”, contou.
O prefeito também comentou que desde o ano passado, após o latrocínio que vitimou Deivid Brião, empresários e trabalhadores das usinas não têm segurança. “Pedimos uma resposta do Estado. Candiota está com altos índices de violência e tráfico de drogas. Emitimos o decreto para pedir recursos e solicitar providências”, completou.
No decreto, o prefeito destaca que há apenas 11 policiais militares atuando no município, sendo apenas dois por turno, quando o número previsto para a cidade teria que ser de 29 policiais militares.
O documento também descreve que há mais de 3,5 mil novos trabalhadores atuando na construção da usina termelétrica Pampa Sul, que estão instalados na cidade, com familiares, o que aumentou em mais de 50% a população de Candiota. “A empresa está reformando o posto da Brigada Militar, na Vila Residencial, e nos dá a assistência que está faltando do governo. Candiota é uma das poucas cidades que têm, hoje, uma usina com muitos funcionários, o que aumentou a demanda em todos os setores, como saúde, educação e segurança. Temos que ter respaldo”, disse.
O decreto foi emitido, segundo o prefeito, porque se faz necessário buscar medidas preventivas e aporte de recursos do Estado. Ele afirma que se viu obrigado a decidir pela declaração de situação de emergência, em razão de todos os fatos que vêm acontecendo na área de segurança pública no município.
O petista contou que irá a Brasília na próxima semana tratar sobre a situação. Candiota, segundo os dados estatísticos da Secretaria de Segurança Pública, registrou três roubos à mão armada em 2016. Apenas no primeiro semestre deste ano, porém, já haviam sido contabilizados quatro registros. Considerando os três casos do final de semana, o índice de criminalidade dobrou no município.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...