ANO: 24 | Nº: 6108
16/10/2017 Cidade

Lideranças destacam importância do campo para desenvolvimento regional durante abertura da Expofeira

Foto: Tiago Rolim de Moura

Autoridades participam da cerimônia realizada ontem
Autoridades participam da cerimônia realizada ontem

Milhares de pessoas circularam pelos pavilhões do Parque de Exposições Visconde de Ribeiro Magalhães, da Associação e Sindicato Rural de Bagé, durante a 105ª Expofeira. A cerimônia de abertura oficial aconteceu na tarde de ontem, com a presença de autoridades do município e representações do governo do Estado.
O presidente da Associação Rural, Rodrigo Borba Moglia, destacou que a Expofeira não é uma festa dos produtores, e sim da cidade. Ele ressaltou a importância da participação dos expositores, que têm alto custo com o transporte dos animais e a manutenção durante os dias da feira; tudo para garantir o sucesso da exposição de rústicos mais antiga do País.
Moglia apontou, ainda, a relevância do trabalho em conjunto entre a classe produtiva e as esferas públicas, com o objetivo mútuo de buscar o desenvolvimento. A manutenção das estradas vicinais, imprescindíveis para o transporte da produção, foi um dos temas mais citados, tanto pelo presidente da associação quanto pelo vice-presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Gedeão Pereira. “A competitividade do Estado depende das condições das estradas”, apontou.
O prefeito de Bagé, Divaldo Lara, do PTB, também destacou a importância da manutenção de boas condições nas estradas do município e detalhou os investimentos que vêm realizando desde que assumiu a gestão, no início deste ano. O tema foi endossado pelo deputado federal Afonso Hamm, do PP, que aproveitou a ocasião para anunciar a pré-candidatura do progressista Luís Carlos Heinze, que também estava presente à cerimônia, ao governo do Estado. O secretário de Transportes do Estado, Pedro Westphalen, representou o governador, José Ivo Sartori, durante a abertura oficial.


Memorial

A cerimônia foi encerrada com a apresentação do Memorial do Gaúcho. A atividade foi idealizada pela Rural Jovem e apresentada para estudantes que participaram das expoaulas desenvolvidas durante a feira. Através da apresentação, foi relembrada toda a história dos gaúchos, desde o surgimento das primeiras atividades relacionadas ao Pampa, realizadas pelos indígenas, passando por importantes fatos históricos do Estado, como a Revolução Farroupilha, Guerra do Paraguai, Revolução Federalista e Revolução de 1923. A cavalo e ostentando trajes típicos de cada época, os atores deram vida às diversas personificações dos gaúchos através dos séculos.


Projeção
De acordo com projeção parcial, ainda não oficializada, até o último remate, realizado na sexta-feira, o faturamento havia sido de aproximadamente R$ 2,7 milhões. O valor deve aumentar e se equiparar com o de 2016 em função do último remate, que será realizado na próxima quarta-feira, dia 18, às 15h.


Concurso de assados

Pela primeira vez, o prato mais tradicional entre a gauchada virou alvo de competição durante a Expofeira. Realizado pela diretoria da Associação Rural, o evento aconteceu na manhã de domingo, no pavilhão de eventos do parque, com o objetivo de valorizar a carne produzida no pampa gaúcho.
O coordenador da atividade, Rafael Macedo, conta que foram disponibilizadas oito vagas para o Concurso de Assadores e todas foram preenchidas. Com o apoio do Programa de Carne Angus e Carne Hereford, os assadores receberam oito costelas, quatro de cada raça.
Os assados mais saborosos foram escolhidos por Ana Doralina, Felipe Azambuja, Joaquim Moraes, Custódio Magalhães e Eduardo Romero. A premiação de Melhor Apresentação do Assado foi ganha pela equipe representando o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Bagé, com o assado feito por Geraldo Almeida, Hector Suñe e Frederico Tavares. O troféu de Melhor Assado de Angus ficou para equipe Nobre Veículos, composta por André Quadros, Vinicios Bacelar e Rudi Nobre.
Já o Melhor Assado Hereford foi entregue à equipe “Lenço e Lança”, composta por Carlos Azambuja Neto, Pedro Suñe e Luís Salles. Os campeões da competição de Hereford contam que chegaram ao parque às 7h30min da manhã para iniciar os preparativos. Uma hora mais tarde, o costelão foi colocado no espeto em cruz, forma escolhida pela equipe para o preparo. E ali permaneceu por três horas assando o lado do osso e mais uma hora assando o lado da carne. Durante todo o tempo, a carne foi regada com salmora preparada com temperos diversos, um dia antes da competição. “Essa técnica de assado com espeto em cruz é tradicional e foi escolhida para o assado lento”, disse Neto.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...