ANO: 25 | Nº: 6335
19/10/2017 Cidade

Secretaria de Saúde anuncia regras para distribuição de medicamentos

A Secretaria Municipal de Saúde e Atenção à Pessoa com Deficiência está promovendo a reorganização da assistência farmacêutica. De acordo com nota divulgada, ontem, pela prefeitura, a medida visa a segurança e a preservação da qualidade dos medicamentos. De acordo com o secretário Mário Mena Kalil, a nova ferramenta de gestão promoverá a compra do que realmente a rede necessita, sem desperdício de dinheiro público e com medicamentos sendo ofertados a quem precisa.
A coordenadora das farmácias municipais, Melissa Collares, afirma que as mudanças devem regularizar a distribuição dos medicamentos para os pacientes que são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e para os usuários que não possuem o Formulário de Atendimento Ambulatorial (FAA), que consultam em serviços de entidades como Caminho da Luz, Apae, Ciom, Unacon e Nefro Rim Sul.
Os pacientes deverão passar pela avaliação da assistente social, Clarissa Leite, que atenderá de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h, no Posto de Atendimento Médico (PAM I). A profissional será responsável pela criação de um cadastro social, no que se refere aos receituários dos pacientes do SUS, que não possuem o FAA. O cadastro vai monitorar e autorizar esses pacientes, à retirada de medicamentos nas farmácias municipais.
O coordenador dos médicos da Secretaria de Saúde, Ricardo Necchi, afirma que a todos os pacientes usuários do SUS e residentes em Bagé, que realmente estão sendo atendidos na rede pública, terão o acesso à medicação adquirida pela secretaria, assim como os de competência estadual, entregues pelo município.
O secretário explica que a profissional atuará de forma com que os usuários do SUS sejam devidamente identificados e estejam presentes no planejamento de ações de assistência do governo municipal. “Estamos promovendo várias mudanças na saúde pública, tanto na reorganização da rede de serviços, como na reorganização da assistência farmacêutica, que é uma área dispendiosa, que requer zelo e controle tanto nas compras quanto na dispensação. Buscamos a eficácia e a excelência da gestão pública que reflete no atendimento aos usuários do SUS”, pontua.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...