ANO: 24 | Nº: 6106
21/10/2017 Cidade

Equipe de arqueologia da UFPel visita Museu Dom Diogo de Souza

Foto: Antônio Rocha

Grupo verificou acondicionamento de artefatos históricos encontrados no sítio
Grupo verificou acondicionamento de artefatos históricos encontrados no sítio

Integrantes do Laboratório Multidisciplinar de Investigação em Arqueologia (Lâmina) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) visitaram as dependências do Museu Dom Diogo de Souza, mantido pela Fundação Attila Taborda (FAT), onde foram recepcionados pelas gestoras da instituição, Carmem Barros e Maria Luíza Pêgas.
Maria Luíza explica que o grupo veio a Bagé conhecer o acervo do Museu Patrício Corrêa da Câmara, que resguarda artefatos encontrados no sítio arqueológico do Forte de Santa Tecla (1773-1776), que foi incorporado ao acervo do Museu Dom Diogo.
A arquiteta da prefeitura, Joelma Silveira, responsável pelo projeto memorial do Parque Histórico do Forte de Santa Tecla, conta que o município mantém acordo com a equipe da arqueologia da UFPel para realização de um plano arqueológico de escavação do forte. Um dos passos para elaboração do plano é, justamente, a visita técnica realizada na tarde de sexta-feira, para conhecer os artefatos encontrados no sítio arqueológico. A equipe da UFPel é especializada em campos de batalha, tendo desenvolvido há pouco tempo um trabalho na Colônia del Sacramento, no Uruguai.
O professor Jaime Mujica Sallés, da equipe da Lâmina, explica que o grupo está apoiando o projeto do memorial, através da prospecção arqueológica. Contudo, é necessário que um espaço adequado receba os materiais encontrados durante o trabalho. "Hoje viemos conhecer os artefatos já existentes e a forma de acondicionamento e proteção dos itens arqueológicos, levando em conta questões como umidade, temperatura e manipulação para conservação do acervo", explica.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...