ANO: 25 | Nº: 6232

Luiz Fernando Mainardi

luiz.mainardi@al.rs.gov.br
Deputado Estadual
25/10/2017 Luiz Fernando Mainardi (Opinião)

Governo Temer é inaceitável

Apenas 3% da população brasileira aprova o governo de Temer. Como a margem de erro nessas pesquisas costuma ficar em 3%, é possível que estejamos falando de um governo que não tem o apoio de ninguém, além da sua camarilha política e econômica. Um governo ilegítimo, que o povo brasileiro quer longe do Planalto.
Entretanto, ele revela uma grande capacidade para manter o poder. Sinal de que as instituições brasileiras não são tão sensíveis à opinião pública, como quiseram nos convencer os grandes jornais na época do impeachment da Dilma, uma presidente sobre a qual não há qualquer denúncia desabonadora.
Temer e seus aliados políticos e econômicos protagonizaram um golpe contra Dilma com base em argumentos absolutamente falaciosos. Uma das razões que se ouvia nos salões de festas dos super-ricos e das elites políticas afastadas do povo é que o governo dela estava criando um deficit insustentável nas contas públicas. Mas o que se viu em seguida foi a geração de um deficit ainda maior, aprovado sem qualquer pudor pela maioria parlamentar comprada com emendas e outros benefícios.
Passando de todos os limites, para se livrar de uma segunda denúncia, baseada em provas contundentes, com vídeos, gravações e testemunhas, Temer lançou mão de uma portaria que relativiza a caracterização de trabalho análogo ao da escravidão, uma conquista dos que defendem a democracia. A medida, concretizada através de um decreto assinado também pelo ministro do Trabalho, o deputado gaúcho Ronaldo Nogueira, do PTB, foi criticada até mesmo pela Organização Internacional do Trabalho.
Se não bastasse, para segurar a chamada bancada ruralista, aprovou, também, uma medida que dá descontos imorais às dívidas por crimes ambientais praticados por empresas rurais, revelando uma visão absolutamente afastada da agenda contemporânea dos países desenvolvidos e em desenvolvimento. Para se salvar, Temer se torna um destruidor das conquistas civilizatórias que conquistamos nos últimos anos, uma tragédia para o País e uma vergonha para os brasileiros.
Neste contexto, nos parece incompreensível este governo ser apoiado pelo governador Sartori e pelos deputados do PMDB, que negociam princípios que disseram que tinham para ganhar migalhas do poder palaciano de Brasília. Nos parece absurdo termos no PTB gaúcho o protagonista de um dos piores retrocessos que já tivemos no País, com a aceitação tácita do trabalho escravo no Brasil.
Independentemente do resultado da votação em Brasília, é preciso continuar resistindo. Temer quer desconstruir as conquistas do povo com a reforma trabalhista, a reforma da previdência e outras mudanças que fazem nosso País retroceder. Logo ali, se resistirmos, vamos poder reverter todos esses retrocessos. Fora Temer.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...