ANO: 25 | Nº: 6330
27/10/2017 Cidade

Hospital Universitário inaugura Ambulatório de Mastologia para pacientes do SUS

Foto: Giovana Pereira/Especial JM

Estrutura será utilizada para atendimento de pacientes com patologia mamária benigna
Estrutura será utilizada para atendimento de pacientes com patologia mamária benigna

No mês de conscientização e prevenção ao câncer de mama, o chamado Outubro Rosa, o Hospital Universitário Doutor Mário Araújo (HU), mantido pela Fundação Attila Taborda (Fat-Urcamp), inaugurou o Ambulatório Regional de Mastologia, para o atendimento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), com patologia mamária benigna. Para manter mais esse serviço, os diretores do HU, Henry Ritta e Rafael Ribeiro, pleitearam um repasse mensal junto ao governo estadual. O recurso também será utilizado para ampliar os atendimentos.
O mastologista e secretário municipal de Saúde, Mário Mena Kalil, é o médico responsável pelo atendimento das pacientes. Segundo ele, o ambulatório direciona o atendimento e tem a missão de educar, prevenir, diagnosticar, tratar, reabilitar, prestar assistência social integrada, visando a importância da detecção precoce, aumentando as chances de cura do câncer de mama. “Estamos muito felizes, pois esse novo ambulatório possibilita diagnosticarmos previamente o câncer de mama”, enfatiza.
Mena fala que a estrutura permite que as pacientes com cistos ou tumores benignos também tenham a oportunidade de passar por uma consulta com médico especialista. “A iniciativa amplia o acesso a toda população de Bagé e região e foi essa complexidade no atendimento que determinou a organização desta nova unidade”, esclarece.
As consultas no ambulatório são agendadas via Unidade Básica de Saúde (UBS), através do Sistema Nacional de Regulação (Sisreg). De acordo com o mastologista, as pacientes com suspeita de tumor maligno, são encaminhadas ao Centro Integrado de Oncologia e Mama (Ciom), de competência do governo estadual, através da Santa Casa de Caridade, onde começa o processo de exames de análise da patologia.
“Sabemos que o câncer de mama é uma doença grave, mas as chances de cura são grandes quando há o diagnóstico e tratamento nas fases iniciais, além de ser o tratamento menos agressivo para a paciente. Abraçamos essa causa para que mais mulheres tenham acesso à informação, que façam os exames clínicos e a mamografia, além de ter o atendimento médico adequado”, afirma o médico e diretor do HU.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...