ANO: 25 | Nº: 6335

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
28/10/2017 José Artur Maruri (Opinião)

Evangelização da criança

Uma das figuras mais resplandecentes do Espiritismo, sem sombra de dúvidas, foi o saudoso Francisco Cândido Xavier.
Entre as várias lições de sabedoria que ficaram gravadas em sua encarnação, aqui no Brasil, está o amor pelas crianças.
No ano de 1972, o Chico Xavier foi entrevistado pelo jornal “O Triângulo Espírita”, de Uberaba, Minas Gerais, tecendo alguns comentários sobre a evangelização da criança.
“P – Como o senhor vê o movimento de Evangelização da criança?
R – Há muitos anos, nós todos, os companheiros de doutrina espírita, encontramos no movimento de evangelização da criança, aquele verdadeiro movimento de formação espiritual da infância, diante do futuro. Há muito tempo acompanho o Departamento de Infância e Juventude da Federação Espírita do Estado de São Paulo e admiro profundamente o trabalho que ali se realiza o setor.
Creio que devemos incrementar esse trabalho tanto quanto nos seja possível, associando as lições evangélicas com as interpretações da doutrina espírita, à luz dos princípios codificados por Allan Kardec. Será uma situação ideal, que só os professores poderão definir como necessário.
P – Em face do desenvolvimento mental da criança, da influência dos meios de comunicação no processo de aprendizagem, justificar-se-ia a programação de aulas predominantes de Doutrina Espírita?
R – Pelo menos de oito a 10 anos de idade, acreditamos que sim, porque a mente infantil de nove a 10 anos de idade, já se encaminha para uma posição consolidada na reencarnação, que a criança está começando a viver.
Aos 10 anos, dos 10 aos 12, temos um mundo de informações para dar à criança, e isso é muito necessário, porque a criança está encontrando, hoje, um mundo muito diferente daquele que os adultos de agora encontraram há 40, 50, 30 anos atrás. Há muitos pequeninos que são chamados aos oito, nove, 10 e 11 anos de idade a facear problemas que só adultos conheciam há 10 anos passados. Hoje, autoridades da Europa e da América do Norte em diversos comentários e estudos de revistas de divulgação científica, muitas autoridades andam impressionadas com o suicídio entre crianças, suicídio de crianças de 10, de 11, de 12, de 13.
Ainda ontem, tivemos em nossa casa, aqui na Comunhão Espírita Cristã, um casal de São Paulo que vinha desolado à procura de reconforto, porque o filho único do casal, um menino de 12 para 13 anos se enforcou deliberadamente, porque encontrou uma negativa da parte dos pais para ir ao cinema, depois de ter ido ao cinema algumas noites consecutivas. Isto é muito importante.
Os suicídios nessa idade não eram comuns, nem eram mesmo conhecidos há 15, 20 anos. Crianças que sofrem a perda de pais ou que são abandonadas e que se suicidam mesmo, se afogam, se envenenam, procuram armas, atiram contra si próprias. Isso é um problema sério para todos aqueles que se sentem vinculados à tarefa de socorro à criança.
- Encontramos no movimento de evangelização da criança, aquele verdadeiro movimento de formação espiritual da infância, diante do futuro!...”
(Extraído da obra Chico Xavier – a terra e o semeador. Entrevistas com Francisco Cândido Xavier/Emmanuel. IDE Editora. p. 103-108)

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...