ANO: 25 | Nº: 6335

Marcelo Teixeira

marceloct@ymail.com
Advogado e professor universitário - Urcamp
28/10/2017 Marcelo Teixeira (Opinião)

Frequência modulada e única

Bem no início dos anos 80 os moradores de Bagé tiveram os primeiros contatos imediatos com a grande novidade da época: as rádios FM (Frequência Modulada). A Rádio Alfa FM, da nossa “vizinha” Pelotas, frequência 94,5 MHz, chegava aos nossos ouvidos através de “grandes” investimentos em enormes antenas externas e boosters, uma geringonça eletrônica que tinha a função de amplificar a captação do distante sinal daquela rádio.
Ainda que com o sinal precário, eventualmente mais fraco e difícil de sintonizar nos aparelhos de então, não se tratava apenas de uma melhor qualidade de som, mas sim de um outro tipo de programação e locução. Uma programação que privilegiava músicas pop, nacionais e internacionais, e que conquistava o público jovem da época. Nas poucas interferências dos locutores, uma locução impostada (ou não) com belos e envolventes vozeirões. Era uma revolução completa no mundo das comunicações, além do que, lá no início, acessar e ouvir estas rádios era até um sinal de status. Chique no “úrtimo”!
Pois bem, não demorou muito para que os bajeenses tivessem a sua própria rádio de frequência modulada (FM). Em 1983, a família Gallo, da Rádio Difusora, trazia para Bagé a Delta FM, operando na frequência 99,7 MHz. No início das transmissões, em caráter experimental, era só música, sem propagandas nem locuções. Se não me falha a memória, de tanto em tanto, entre uma música e outra, transmitiam uma pequena vinheta com a identificação da emissora e a informação de que seria uma transmissão em caráter experimental.
Trinta e quatro anos depois, as FMs não só se consolidaram como ainda vão substituir as antigas AMs que começam a se despedir anunciando a migração. Trata-se de uma iniciativa do Poder Executivo federal que, através do Decreto nº 8139 de 2013, visa a extinção do serviço de radiodifusão sonora em ondas médias de caráter local. Tal caráter está relacionado à potência dos transmissores e, consequentemente, abrangência territorial das transmissões, ou seja, a idéia é extinguir as rádios AM que não tenham abrangência regional ou nacional.
Do ponto de vista prático tal substituição não trará grandes prejuízos aos ouvintes, pois a desvantagem da FM em relação às AMs é exatamente o pequeno alcance de suas ondas. Ora, se as FMs vão substituir as AMs de pequeno alcance, não deixa de ser uma troca de seis por meia-dúzia, com a vantagem de uma melhor qualidade de som, sujeita a menos interferências e a captação por sintonizadores digitais modernos e compactos como celulares e smartphones.
Com esta migração, então, só captaremos transmissões AM das grandes rádios da capital, do país e do mundo. Os aparelhos de rádio AM, de uma faixa apenas, terão pouca utilidade para nós. Já os mais potentes e/ou de muitas bandas talvez até ganhem importância, pois tendem a ser os únicos a ter a possibilidade de captar transmissões em ondas médias, além das curtas e longas, para alegria de um público nada desprezível de aficionados por transmissões distantes e cheias de chiados.
Todavia a principal mudança deverá ocorrer no estilo das transmissões. Essa cultura, ainda predominante no interior, de que as FMs são eminentemente musicais e as AMs são mais ecléticas, com noticiários, entrevistas, debates, transmissões esportivas, cobertura de eventos, interatividade, entretenimento e, inclusive, execução de músicas, vai ter fim com esta migração. As diferenças vão desaparecer e, neste sentido, todos ganham.
Que venham então as novas FMs com a alma das antigas AMs. Segundo informação do site www.gauchoradios.com.br/d-radiors-am.htm, a ZYK 212, que opera na frequência 1590 kHz, a Rádio Clube, passará a operar na frequência 94,9 MHz; a ZYK 213, que opera na frequência 1170 kHz, a Rádio Difusora, passará a operar na frequência 103,9 MHz; e a ZYK 214, que opera na frequência 1460 kHz, a Rádio Cultura, passará a operar na frequência 98,7 MHz.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...