ANO: 25 | Nº: 6383
31/10/2017 Segurança

Suspeito de participação na morte de adolescente presta depoimento

Foto: Divulgação

Vítima Franciele Modernel Scholant, 14 anos
Vítima Franciele Modernel Scholant, 14 anos

Rafael dos Santos Ferraz, 23 anos, suspeito de participação no homicídio que vitimou Franciele Modernel Scholant, no dia 10 de janeiro de 2016, foi interrogado, ontem, às 16h30min, na 1ª Vara Criminal da Comarca de Bagé. Durante o depoimento, ele informou que não conhecia a acusada pelo crime e que apenas tinha dado uma carona, sem saber o que iria acontecer. “Em primeiro lugar, eu quero pedir desculpas à família da vítima. Não sabia das intenções da acusada. Saí pra me divertir”, relatou.
O suspeito descreveu que no dia do fato foi buscar a amiga da acusada, pois estavam conversando pelas redes sociais e deu carona para outras três amigas dela. Próximo ao clube, a acusada teria pedido para ele parar o carro. “Desceram todas. Eu fiquei no veículo. As bolsas ficaram ali também. Depois elas voltaram e atrás delas tinham seis pessoas. Fiquei nervoso. Fugi correndo de carro”, relatou.
O promotor do Ministério Público questionou se ele teria visto a vítima no chão. Ele respondeu que sim e que não teria socorrido, pois teve medo dos outros que estavam correndo em sua direção. “Fiquei muito nervoso. Aquelas pessoas correndo em direção ao carro, achei que iríamos apanhar. Estava com meninas no carro. Depois fui levar elas até a casa da menina que eu estava me relacionando pelas redes sociais”, contou.
Ferraz também falou sobre a troca de carro. Nos documentos do processo consta que ele estava em um veículo branco e após pegou um carro vermelho. “O carro branco estava com problema na direção, trancando quando ia fazer a curva. Então pegamos o outro carro, mas foi bem antes de acontecer qualquer coisa”, completou.
Após o fato, Ferraz também relatou que as outras amigas da acusada, de 15 anos, brigaram com ela e estavam muito nervosas, gritando. “Após tudo, levei a acusada para uma casa perto da Mascarenhas de Moraes e as outras deixei na Tupy Silveira. Pela manhã, quando voltei pra casa, contei para os meus pais. Não sabia o que tinha acontecido ao certo. Sabia que elas tinham brigado e meus amigos não viram polícia e nem Samu no local”, afirmou.
Ferraz disse que não sabia das intenções e que apenas tinha ouvido a acusada contar para as amigas que uma menina teria ido na casa do namorado dela e ela não teria gostado.


Processo
Esta foi a quarta audiência. Na primeira, em outubro do ano passado, foram ouvidas 13 testemunhas, 11 de acusação e duas de defesa. Em março deste ano, uma nova audiência foi realizada. A adolescente acusada foi ouvida por carta precatória (audiência em outra cidade). Outra precatória foi enviada para Gramado, para a última testemunha.


Relembre
O primeiro homicídio de 2016 chocou a comunidade bajeense. O crime ocorreu na madrugada de domingo, 10 de janeiro, em frente ao Clube Comercial, por volta das 4h45min, vitimando a adolescente Franciele Modernel Scholant, de 14 anos. A acusada seria uma jovem de 15 anos, que, segundo inquérito, teria desferido seis facadas na vítima. A motivação do crime seria um relacionamento amoroso que ambas tinham com o mesmo jovem.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...