ANO: 23 | Nº: 5789

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
11/11/2017 José Artur Maruri (Opinião)

A cada um

“Levanta-te direito sobre teus pés!” (Atos 14:10)
No último final de semana, entre os dias 3, 4 e 5 de novembro, se realizou, em Porto Alegre, o nono Congresso Espírita do Rio Grande do Sul com o tema Espiritualidade nas Relações – Para Viver e Conviver em Paz.
Não poderia ter sido mais feliz a organização do congresso na escolha do tema central, uma vez que as relações precisam, cada vez mais, de saúde espiritual.
Há muito tempo, quando estamos encarnados no corpo físico apenas enxergamos as deficiências físicas, os que perderam o equilíbrio corporal e os que se arrastam penosamente no solo.
No entanto, conforme o dizer do espírito Emmanuel, na crosta da Terra, a esmagadora maioria de pessoas se constituem de almas paralíticas, no que se refere à virtude, raros homens conhecem a desarmonia de saúde espiritual que lhe diz respeito, conscientes de suas necessidades incontestes.
Daí que o evento acertou em cheio, também, quando definiu que além dos painéis principais com Divaldo Pereira Franco, Haroldo Dutra Dias, Sérgio Lopes e outros, seriam trabalhadas oficinas temáticas focadas nas vivências individuais dos participantes com vistas à espiritualidade nas relações familiares, sociais e profissionais.
Não era outra a forma com que Jesus disseminava o Evangelho. O mestre Nazareno, pedagogo por excelência, utilizava os meios de que dispunha para ensinar, para educar as populações com as quais teve contato físico, tal e qual ocorreu nas oficinas do encontro.
Vale observar o que nos diz  Emmanuel através da mediunidade de Chico Xavier, in verbis:
“A missão do Evangelho é muito mais bela e extensa do que possamos imaginar. Jesus continua derramando bênçãos todos os dias. E os prodígios ocultos, operados no silêncio de seu amor infinito, são maiores que os verificados em Jerusalém e na Galileia, porquanto os cegos e leprosos curados, segundo narrativas apostólicas, voltaram mais tarde e a enfermar e morrer. A cura de nossos espíritos doentes e paralíticos é mais importante, já que se efetua com vistas à eternidade”.
Enfim, torna-se imperioso que busquemos auxiliar aqueles que se encontram com o corpo físico adoecido, até mesmo porque Jesus nos deu o testemunho do amor e da caridade, por outro lado, não podemos nos esquecer que precisamos da cura de nossos espíritos, para que possamos amar o próximo como a nós mesmos e sermos os pacificadores por onde passarmos.
Só assim caminharemos rumo a um mundo de fraternidade, amor e paz.
E que venham os próximos congressos.
“Agucemos os ouvidos, guardando a palavra do Apóstolo aos gentios. Imprescindível é que nos levantemos, individualmente, sobre os próprios pés, pois há muita gente esperando as asas de anjo que lhe não pertencem”. Emmanuel.
(Referência: O evangelho por Emmanuel: comentários aos Atos dos Apóstolos/coordenação de Saulo Cesar Ribeiro. Brasília: FEB, 2017. p.74-75)

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...