ANO: 25 | Nº: 6332
18/11/2017 Cidade

Cresce número de casamentos e diminui registros de divórcios em Bagé

Foto: Tiago Rolim de Moura

Bajeenses se divorciaram menos em 2016
Bajeenses se divorciaram menos em 2016

Diferente dos dados gerais do País, o número de casamentos civis teve um aumento em Bagé, no ano passado. A cidade também registrou diminuição do número de divórcios. Em 2016, foram contabilizados 483 casamentos e 221 divórcios na cidade, enquanto em 2015, de acordo com as Estatísticas do Registro Civil, divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aconteceram 455 casamentos e 228 divórcios.

A pesquisa também aponta os casamentos homoafetivos. As mulheres mantiveram a média de 2014 e 2015, com dois casamentos. Já entre homens, não houve casamentos no ano passado. Em todo o Brasil, foram registrados 1.095.535 casamentos civis, em 2016, sendo 5.354 entre pessoas do mesmo sexo. Houve queda de -3,7% em relação a 2015.
A redução foi observada tanto nos casamentos entre cônjuges de sexos diferentes quanto para os cônjuges do mesmo sexo, com exceção das regiões Sudeste e Centro-Oeste, que apresentaram aumento nos casamentos civis entre pessoas do mesmo sexo.


Base de dados

A coordenadora da subárea do IBGE, Laiane Castro Lopes, destaca que, além das informações sobre casamentos e divórcios declarados pelas Varas de Família, Foros, Varas Cíveis e Tabelionatos de Notas, as Estatísticas do Registro Civil reúnem informações sobre os nascidos vivos, óbitos e óbitos fetais, repassados pelos Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais.
Laiane salienta que os dados são cadastrados em um sistema a cada três meses, e que, no período de divulgação da pesquisa são compilados e tratados pelo IBGE. Os resultados do levantamento representam importantes instrumentos para o acompanhamento da evolução da população brasileira, sobretudo nos períodos intercensitários.


Abrindo mercados

No caso específico dos matrimônios, o aumento no número dos registros, em Bagé, também impulsiona um mercado específico. Conforme a administradora de empresas e cerimonialista Vanessa Pellegrini Medina, em 2016, as pessoas buscaram o gerenciamento total de festas de casamento, com contratação de equipes de buffet, garçons, igreja, decoração e fotos. “Neste ano, as pessoas estão buscando mais para o dia do evento”, conta.
Vanesssa está no mercado há seis anos. Ela e a irmã, Daiane, mantêm uma empresa de cerimonial e assessoria de eventos. Na avaliação da empresária, o mercado tem crescido nos últimos anos, devido à correria do dia a dia. “Os clientes buscam qualidade e preço e não têm tempo para procurar”, ressalta. A cerimonialista relata que os valores do serviço dependem do tipo de produto que o cliente deseja.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...