ANO: 24 | Nº: 6109
23/11/2017 Cidade

Direção do Lar Santo Estevão vai doar materiais para instituições

Foto: Antônio Rocha

Voluntárias realizam separação dos donativos
Voluntárias realizam separação dos donativos

O processo de triagem do inventário do Lar da Criança Santo Estevão, para a entrega do prédio à Igreja Anglicana, foi concluído na tarde de ontem, por um grupo de professoras, funcionárias e voluntárias do Movimento da Mulher Gaúcha. A ação teve o objetivo de separar e limpar os materiais pertencentes ao local, que serão doados a entidades e instituições locais.
Segundo a vereadora Sonia Leite, do PP, que atuou como mantenedora da instituição por mais de 20 anos, as doações serão feitas por meio do projeto Meia Hora de Carinho. Os berços e carrinhos, que foram doados pela Justiça Federal, serão entregues à pediatria da Santa Casa de Caridade de Bagé. Os brinquedos do local devem ser doados para as associações de moradores de Palmas e Jota Tavares e ao Centro de Aprendizagem do Movimento da Mulher Gaúcha.
A Fundação Geriátrica José e Auta Gomes e a Vila Vicentina serão beneficiadas com os produtos de higiene e limpeza do local. Os mantimentos devem ser entregues à Liga Feminina de Combate ao Câncer e para uma família em situação de vulnerabilidade social.
Sonia também comenta que pretende realizar um brique, em benefício à Fundação José e Auta Gomes, com os materiais que não forem doados. Amanhã, às 10h, a vereadora realizará a doação do acervo histórico acumulado pela entidade nos últimos 20 anos, ao Arquivo Público Municipal Tarcísio Taborda.
O lar, localizado no bairro Santa Flora, na zona leste de Bagé, foi fundado em 1974, por Manoelinha Araújo e pelo reverendo Antônio Guedes, através da Igreja Anglicana do Brasil. Por um período, funcionou como internato. Por causa de dificuldades financeiras, o local iria fechar as portas em 1997, quando a vereadora assumiu o comando, com apoio da população e padrinhos.
O fechamento foi definido após exigências feitas pela Vigilância Sanitária quanto ao espaço, com necessidade de adaptações, como reformas na cozinha e instalação de telas, além da contratação de uma nutricionista para suprir as necessidades das crianças.
Sonia agradece a direção da Igreja Anglicana do Brasil, que demonstrou confiança no trabalho realizado nestes anos, jamais exigindo assinaturas ou contratos para reformas ou melhorias no ambiente, segundo ela.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...