ANO: 25 | Nº: 6255

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
25/11/2017 Airton Gusmão (Opinião)

Cristãos leigos e leigas: sal da terra e luz do mundo

Neste último domingo do mês de novembro, na solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo, encerramos o ano litúrgico e também celebramos o Dia do Leigo. A Igreja, no Brasil, inicia nesta data o Ano do Laicato, que se estenderá até 25 de novembro do próximo ano.
Este Ano do Laicato tem como tema: “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino”; e como lema: “Sal da terra e Luz do mundo (Mt 5,13-14)”. O objetivo principal deste ano como Igreja, Povo de Deus, é celebrar a presença e a organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil; aprofundar a sua identidade, vocação, espiritualidade e missão; e testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade.
Dentro desse contexto, são colocados como objetivos específicos: comemorar os 30 anos do Sínodo Ordinário sobre os leigos (1987) e os 30 anos da publicação da Exortação Apostólica de São João Paulo II, sobre a vocação e missão dos leigos na Igreja e no mundo (1988); dinamizar o estudo e a prática do documento 105 da CNBB: Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade e demais documentos do Magistério sobre o laicato, em especial do Papa Francisco, e estimular a presença e a atuação dos cristãos leigos e leigas, “verdadeiros sujeitos eclesiais” (Documento de Aparecida, nº 497a), como “sal, luz e fermento” na Igreja e na sociedade.
A própria Igreja reconhece que uma expressiva parcela de batizados ainda não tem uma plena consciência de sua pertença à Igreja. Sentem-se católicos, mas não Igreja. Também persiste nesta realidade, uma forte mentalidade clerical que dificulta a corresponsabilidade, o protagonismo e a participação do leigo como sujeito eclesial.
Cabe uma pergunta, dentre tantas possíveis: quem são os leigos e leigas e qual a sua missão? O Documento de Puebla traz uma belíssima resposta: “São homens e mulheres da Igreja no coração do mundo e homens e mulheres do mundo no coração da Igreja” (nº 786).
Leigos e leigas são todos os cristãos, exceto os membros de ordem sacra e do estado religioso aprovado na Igreja. Estes fiéis pelo batismo foram incorporados a Cristo, constituídos no povo de Deus e, a seu modo, participantes do múnus sacerdotal, profético e real de Cristo; realizam na Igreja e no mundo, na parte que lhes compete, a missão de todo o povo cristão (Constituição Dogmática Sobre a Igreja, nº 31).
Os leigos e leigas para serem sal da terra e luz do mundo, como sujeitos eclesiais e testemunhas de Jesus Cristo e de seu Reino, precisam de uma vivência eclesial, de uma espiritualidade de comunhão e participação, bem como de uma formação permanente, espiritual, doutrinal e pastoral.
É importante que jamais esqueçam que sua missão própria e específica se realiza no mundo da política, da realidade social e econômica, da cultura, das ciências e das artes, dos MCS, bem como em outras realidades abertas à evangelização, como a família, a educação, o trabalho e o sofrimento.
Valorizemos o Ano do Laicato para que, de fato, os leigos e leigas sejam, como sal da terra e luz do mundo, sujeitos na Igreja em saída, a serviço do Reino. A nossa gratidão e oração a todos os leigos e leigas.
Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...