ANO: 25 | Nº: 6334

Regina Pereira Reiniger

08/12/2017 Universo Pet

Seu amigo está velho? Como saber e o que fazer?

A geriatria em Medicina Veterinária vem ganhando espaço na área pet, sendo um conjunto de fatores que contribuíram para isso, tais como: maior cuidado de seus tutores, especialidades na clínica médica, indústria farmacêutica e rações específicas. A idade média para considerar seu amigo de 4 patas geriátrico é em torno de 7 anos, mas isso é variável conforme a espécie, raça e porte, e não está relacionada com os ditos populares que todos escutam, que a cada 1 ano de vida equivale a 7. Estudos mostram que cães de grande porte tendem a viver menos e os pequenos mais. Considera-se geriátricos os cães de pequeno porte (<9,0 Kg) aos 11 anos; de porte médio (9 - 23 Kg) aos 10 anos; de porte grande (23 - 40 Kg) aos 8 anos; e de porte gigante (>40Kg) aos 7 anos. Já a expectativa de vida do gato, está mais relacionada ao estilo de vida, quando criado em casa, de forma cuidadosa, vive entre quinze e vinte anos, em média, mas existem gatos que podem chegar aos trinta anos. Porém, os que são de rua vivem, em média, de 6 a 8 anos. Outros autores citam que uma forma de caracterizar as transformações biológicas, imunológicas e metabólicas ocorridas com o avançar da idade é a de classificar os pacientes, em gatos de “meia-idade” (entre 7 e 10 anos), “senis” (entre 11 e 14 anos) e “geriatras” (acima de 15 anos). 

Quando a idade vai chegando, pode-se notar mudanças físicas e comportamentais; seus pelos começam a ficar grisalhos, ocorre a perda da visão e audição, diminuição das atividades físicas, problemas de pele, de obesidade, diabetes, problemas de dentição, articulares, hormonais, cardíacos e até mesmo comportamentais. Algumas ações devem ser tomadas para melhorar a qualidade de vida, devido ao decréscimo de atividades físicas. Nessa fase não se recomenda alimentá-los com o mesmo volume de comida oferecida quando jovens, pois isso pode torná-los obesos. Recomenda-se para cães, oferecer ração específica para a idade 2 vezes ao dia, evitar guloseimas humanas e ter cuidados com a dentição, pois as vezes é preciso oferecer comida pastosa. O que não pode faltar é água fresca à vontade.

As enfermidades mais comuns em cães geriátricos são: alteração cardíaca, insuficiência renal, diabetes mellitus, hipotireoidismo, problemas ortopédicos, neoplasias e disfunção cognitiva (degeneração similar ao Alzheimer). Nos gatos, as enfermidades não são muito diferentes, eles podem desenvolver problemas como: neoplasias, sobretudo o linfoma alimentar, doença renal crônica (DRC), hipertireoidismo e alterações cognitivas.

Com o objetivo de prevenir ou retardar os problemas orgânicos que chegam com a idade, sugere-se que os animais visitem o clínico duas vezes ao ano. As consultas serão acrescidas de alguns exames, para detectar precocemente as alterações, o que vem a melhor qualidade de vida dos nossos amigos de quatro patas.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...