ANO: 25 | Nº: 6353
09/12/2017 Editorial

Primeira vitória

A inclusão do carão no planejamento da matriz energética representa a primeira conquista de dezembro, mês que é decisivo para o setor. A modernização das termelétricas, prevista no Plano Decenal de Expansão de Energia 2026, pode beneficiar as usinas de Candiota. O desafio na definição do modelo a ser adotado, passa, inevitavelmente, pelo desenvolvimento de soluções ambientais. Só assim será possível neutralizar resistências internas.
A produção de energia, a partir do carvão, gera impacto. Isso é inegável. O que se discute são os aspectos estratégicos e sociais, representados, respectivamente, pela segurança conferida ao sistema elétrico nacional e pela geração de emprego e renda em áreas economicamente deprimidas, a exemplo da Campanha gaúcha. A regulamentação do futuro programa de modernização deve contemplar o aspecto ecológico, sem dúvida. E tecnologia não falta.
Projeto semelhante, vetado pelo presidente Michel Temer, estabelecia, como contrapartida à modernização das usinas, o emprego de tecnologia capaz de reduzir em 10% a emissão de gases do efeito estufa. A tendência é de que o percentual mínimo exigido seja elevado. A resposta dos empreendedores será conhecida no leilão de energia do dia 18. O certame que pode viabilizar a construção de nova usina na região servirá de termômetro. O processo vai apresentar, também, a disposição dos empreendedores para o cumprimento de metas.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...