ANO: 25 | Nº: 6380

Divaldo Lara

divaldolara@gmail.com
11/12/2017 Divaldo Lara (Opinião)

Um grande ano para Bagé

Neste último mês do ano começamos aqui uma série de artigos retrospectivos de nosso trabalho à frente do município. Enfrentamos, sim, muitas dificuldades, mas o saldo é positivo, soubemos buscar as soluções para os problemas pontuais. E, ante a maioria dos municípios brasileiros, podemos afirmar que estamos bem.
Iniciamos a gestão com prioridades definidas, economizamos o dinheiro do contribuinte e montamos uma equipe de captação de recursos de muita eficiência, que mostrou resultados já nos primeiros meses.
Para se ter uma ideia, em meio a uma crise econômica, concluímos cinco frentes de pavimentação: avenida Itália, acesso à Unipampa, rua PM Éverton, rua Dr. Penna, Monsenhor Costábile Hipólito e cem metros na entrada do residencial São Sebastião. O montante concluído chega a R$ 4 milhões. Outras frentes estão em andamento, como o Anel Rodoviário, a avenida Attila Taborda, rua Peri Coronel e rua Breno José Coronel Machado, no Morgado Rosa. O total ultrapassa R$ 11 milhões.
Também temos frentes nas áreas de Educação, Assistência Social e Saúde. A nova equipe do Estratégia Saúde da Família passará a funcionar no prédio do Sá Monmany, que está em construção. Dessa forma, o Bairro Getúlio Vargas se transforma em um grande complexo de saúde, com o ESF, o Centro de Referência, o Samu e a Upa.
No Aterro Sanitário continuamos a obra que proporcionará a Bagé um grande salto de qualidade na questão ambiental com a abertura da célula 6, a célula 5 já foi fechada e as condições daquele local melhoraram em muito. Pegamos um aterro abandonado, jogado às traças, literalmente.
A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação mudou a relação da iniciativa privada com o poder público municipal. A aproximação com a política de governo têm proporcionado grandes avanços para que cheguemos ao objetivo de tornar Bagé uma cidade pronta para o desenvolvimento. O incentivo a vários setores produtivos em atividade, como o moveleiro e cervejeiro; o comércio varejista com os sábados azuis, um imenso shopping na nossa principal avenida; a desobstrução das calçadas com a regularização da forma de expor produtos; a organização estrutural do Distrito Industrial no extremo leste de Bagé, que já têm indústrias prontas para se instalar, entre tantas iniciativas têm contribuído para que tenhamos uma cidade organizada que se prepara para o desenvolvimento.
É claro que nem tudo é acerto, muitas vezes temos de corrigir caminhos e dinâmicas de trabalho. No entanto, o resultado do primeiro ano é positivo.
Ainda neste dezembro voltaremos ao tema das ações inovadoras que conseguimos implantar, superando a crise para fazer uma nova cidade.
Vivenciamos este chão com muito carinho e queremos ver Bagé desenvolvida social e economicamente.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...