ANO: 25 | Nº: 6208
12/12/2017 Cidade

Gestão celebra ano de conquistas do Hospital Universitário

Foto: Tiago Rolim de Moura

Usina era um sonho da diretoria
Usina era um sonho da diretoria

Foram 365 dias de trabalho intenso, muito esforço e emoção. Assim pode ser resumido o primeiro ano de atividades do Hospital Universitário (HU) Doutor Mário Araújo após sua reabertura, em dezembro do ano passado. Depois da suspensão das atividades, em junho de 2016, a instituição foi reaberta, tendo à frente os médicos Rafael Ribeiro e Henry Ritta, além dos administradores Eduardo Pizzani e Romário de Almeida, que encararam a missão, junto à Fundação Attila Taborda/Universidade da Região da Campanha (FAT/Urcamp), mantenedora da instituição. De lá para cá, a diretoria comemora vitórias diárias, que fazem com que a instituição se reerga com credibilidade e qualidade, destacando-se regionalmente.


Um hospital moderno

Neste primeiro ano de atividades, além da retomada dos atendimentos clínicos, o hospital também se destacou por um grande avanço tecnológico. Um dos exemplos, o carro-chefe da tecnologia da instituição, é o prontuário eletrônico, que agiliza e dinamiza o processo administrativo hospitalar. O mesmo sistema de gestão é utilizado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), fornecido pelo HU.

O programa facilita o acesso aos dados do cidadão, com digital de todas as informações dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, o prontuário ainda traz vários outros serviços em sua esteira, como a rastreabilidade dos medicamentos, o que evita desperdício e estoques desnecessários e controle total da farmácia. “O prontuário abre a possibilidade de prescrever, medicar e cobrar exatamente o que foi consumido”, destaca Pizzani.

Outra inovação foi o controle de acesso em áreas estratégicas através de um cartão, que registra no sistema a entrada e saída dos acompanhantes. A tecnologia funciona também na sala de prescrição médica, no refeitório, entre outros locais, onde apenas os profissionais do respectivo setor têm acesso. 

A usina dos sonhos

Em outubro deste ano, uma nova conquista foi apresentada aos bajeenses: a instalação da usina de oxigênio de alta eficiência energética, que garante pureza de 93% do oxigênio, com capacidade de produção de 12 metros cúbicos por hora, cerca de 8.760 metros cúbicos por mês. O processo é econômico, dentro dos princípios de eficiência energética. O equipamento também tem outras vantagens: baixo custo de manutenção e estrutura compacta, exigindo apenas a área de 12m² para instalação. A usina de oxigênio facilita a reabertura do bloco cirúrgico, além de ter capacidade para atender a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).


Novo ano promissor

Se 2017 já foi um ano de conquistas para o hospital, 2018 promete firmar a instituição como referência na região. Para isso, a direção do HU conta com auxílio da esfera pública, através de emendas parlamentares. Três delas já estão garantidas, somando mais de R$ 700 mil em injeção na qualidade da instituição. A primeira é destinada pelo deputado federal Afonso Hamm (PP), no valor de R$ 300 mil; mais R$ 300 mil destinados pelo deputado Danrlei de Deus (PSD) e R$ 100 mil garantidos pelo deputado Afonso Motta (PDT).

A inauguração do bloco cirúrgico também está prevista para o próximo ano, contando com três salas e equipamentos de ponta. Outra novidade para 2018 é a inauguração de um plantão odontológico 24 horas e a troca de 50 camas com recursos destinados através da Consulta Popular.

Para facilitar a acessibilidade com macas, está prevista a implantação de dois elevadores no complexo.  “A ideia não é ser grande, é ser eficiente e realizar com qualidade os serviços aliados à tecnologia”, afirma Henry.


Melhorias e novos serviços

Já estão em funcionamento o ambulatório de enfermagem, que atende 24 horas para convênios e particulares, e o ambulatório de mastologia para pacientes do SUS e toda região da 7ª Coordenadoria Regional de Saúde (7ª CRS).

Recentemente, o hospital inaugurou dois vestiários para os trabalhadores, com 150 armários para guardar os documentos, pertences e peças de roupa.

Também foi implantado o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), com fitas de identificação em que constam informações sobre os medicamentos utilizados.


HU em números

Desde sua reabertura, em dezembro de 2016, o hospital realizou mais de 500 internações, sendo 151 delas apenas no último mês (novembro). Durante este período, foram servidas 45.044 refeições balanceadas e acompanhadas por um nutricionista, tanto para pacientes quanto para acompanhantes. O Hospital Universitário é o único da região que também disponibiliza alimentação para acompanhantes de pacientes internados na instituição.

Após o início das atividades da radiologia, em junho deste ano, a média de radiografias realizadas por mês é de 500, tanto pelo IPE, quanto pelo SUS e particular. O tomógrafo foi outro ganho para o hospital. Adquirido com recursos da Consulta Popular há cinco anos, o equipamento só entrou em funcionamento em abril deste ano, após a adequação de espaço específico. Um convênio com a Prefeitura de Bagé, na ordem de R$ 96 mil, disponibiliza 100 tomografias a cada mês para os pacientes do SUS. Com a tecnologia de ponta, o tempo de espera dos laudos de radiografias reduziu bastante. Para solicitações de emergência, o resultado é emitido em até duas horas e para os demais em até 12 horas.

Atualmente, o Hospital Universitário conta com 60 leitos, sendo 50 deles ativos. Destes, 40 são destinados para pacientes do SUS. 

 

A ajuda da comunidade

Por outro lado, uma comunidade está sempre pronta para ajudar. O hospital conta com o apoio dos clubes de Rotary, grupo “Doe Amor”, Exército Brasileiro, Lions Clube, entre outras esferas e associações do município, os quais já auxiliaram com materiais, compra de equipamentos e diversas melhorias na instituição hospitalar.

 

Um esforço da equipe

Para a presidente da FAT e reitora da Urcamp, professora Lia Maria Herzer Quintana, a situação do fechamento do Hospital Universitário se deu em razão de valores. Através de um redirecionamento estratégico, a instituição redimensionou o seu tamanho para voltar a ofertar os seus serviços, primando pela qualidade e, também, pela humanização na saúde. “Esse ano de conquistas e de gestão se mostrou exitoso. Pontuado exatamente pelo esforço de toda equipe que se encontra na gestão do HU”, frisa a reitora.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...