ANO: 25 | Nº: 6256

Luiz Fernando Mainardi

luiz.mainardi@al.rs.gov.br
Deputado Estadual
13/12/2017 Luiz Fernando Mainardi (Opinião)

Agora é Gol

Hoje, quando você começar a ler esse artigo, já teremos partido de Porto Alegre em direção à Bagé em um voo que decolou no aeroporto Salgado Filho e pousará no aeroporto Comandante Gustavo Kraemer. Fruto de um grande esforço de uma comissão parlamentar liderada pelo deputado Frederico Antunes e da sensibilidade do secretário dos Transportes, Pedro Westphalen, teremos a partir de agora uma linha comercial regular ligando Bagé a Porto Alegre, mas não só. Na verdade, uma linha que liga nossa cidade ao centro do país.
Nas negociações com a empresa Gol, na qual participei direta e ativamente, ficou evidenciado que um processo como este nunca é resultado de um esforço individual ou mesmo de um partido ou governo exclusivamente, como eventualmente as propagandas podem tentar convencer. O acúmulo de esforços e políticas que vinham se desenvolvendo desde o governo Tarso, quando baixamos o ICMS sobre o combustível de aviação de 17% pra 12% foi continuado, agora, pelo governo Sartori, que acertou em conceder mais uma vantagem à operação, diminuindo ainda mais o ICMS sobre o combustível – agora para 7% -, viabilizando, desta forma, a regularidade dos voos.
Mas não foi só isso. Houve, também, uma visão estratégia da empresa Gol, que soube estabelecer as parcerias necessárias para operar a linha através de equipamentos adequados da Two Flex Táxi Aéreo e a definição de rotas e horários capazes de captar os viajantes bageenses que pretendem se deslocar com rapidez, segurança e conforto não apenas para Porto Alegre, mas também para São Paulo e Rio de Janeiro.
Esse conjunto de esforços e inteligências compartilhados e somados é que resultou em tão importante benefício para a nossa cidade e região. É evidente que uma cidade com um aeroporto regional operacional e com ligação aérea para o centro nevrálgico da economia do país goza de um estatuto privilegiado no cenário geográfico brasileiro.
O impacto da Unipampa, o crescimento dos projetos de fruticultura (principalmente uvas e oliveiras), os projetos de produção de energia em Candiota e o advento das Lojas Francas em cidades de fronteira (que trará benefícios para nossa vizinha Aceguá), serão catapultados ainda mais com a existência desta linha regular.
A ligação aérea entre Bagé e Porto Alegre, como já disse, permite um novo olhar sobre nossa localidade. É evidente que isso atrai não apenas turistas, mas fundamentalmente investidores, interessados em uma nova fronteira de investimentos em áreas que têm grande potencial de crescimento no Brasil, como é o caso da plantação de oliveiras e a produção de azeites.
Nosso desafio, agora, será o de manter essa linha no tempo, mesmo em um momento difícil para a economia brasileira. Esse esforço deverá ser feito por toda a comunidade, sem diferenças partidárias, sem exclusivismos, que, em verdade, mais atrapalham do que ajudam o desenvolvimento de nossa cidade.
Como deputado que representa essa região, luto para que ela se desenvolva. E por isso, continuarei na luta para que esta linha ganhe sustentabilidade. Nesse sentido, articulo junto aos deputados federais a apresentação de um projeto que inclua as regiões de fronteira do Brasil ao tratamento especial dedicado às linhas aéreas que têm como destino regiões amazônicas.
Essas linhas obtêm vantagens fiscais e subsídios previstos na Lei 13.097, que implantou o Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional, viabilizando a implantação de itinerários comerciais ligando regiões longínquas do país, o que, obviamente, é o nosso caso específico, além de uma necessidade importante para o nosso crescimento.
Com o perdão do trocadilho, a chegada da Gol é um golaço no nosso céu azul.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...