ANO: 24 | Nº: 6185

Marcelo Teixeira

marceloct@ymail.com
Advogado e professor universitário - Urcamp
16/12/2017 Marcelo Teixeira (Opinião)

Deus lhe pague!

Não consegui descobrir a origem desta antiga expressão “Deus lhe pague!” que é usada para agradecer, via de regra, algum favor ou gentileza impagável com dinheiro. Todavia ela é tão usual que até quem não crê em Deus faz uso dela e, infelizmente, até quem deve dinheiro, malandramente, faz uso dela também.
Sem entrar nesta questão do uso indevido de uma frase plenamente consolidada na nossa cultura cristã, a reflexão que pretendo vai para outro lado, mas sem deixar de considerar a fé em Deus.
No início deste mês vi e ouvi o frei Álvaro Bordignon agradecer aos leigos que coordenavam dois importantes movimentos ligados à Igreja Católica (Emaús e Movimento Familiar Cristão) com um “Deus lhes pague!”. Integro estes dois movimentos e fiquei a pensar que a maioria esmagadora (se não a unanimidade) das pessoas que integram estes movimentos, contribui voluntariamente para a evangelização de jovens e de famílias, não esperando proteção e bênçãos divinas em troca de suas ações e colaborações.
Falo por mim, mas tenho certeza que falo por muitos: tudo que fazemos na tentativa de evangelizar famílias e jovens não é com a intenção de receber uma recompensa divina em troca, mas sim com a intenção escancarada de pagar a imensa dívida que temos para com o Criador. Como diz Joca Martins, “É aí que eu me refiro!”
Quando ouço alguém dizer “Deus lhe pague!” fico a pensar que Ele já me pagou e vem me pagando faz tempo. Precisarei viver muitas vidas para retribuir tudo que Ele me deu. E antes que alguém interprete erradamente o que estou dizendo, esclareço que o que me foi dado e o que busco retribuir não tem nada a ver com dinheiro ou bens materiais, pois, como disse o Filho de Deus: “a César o que é de César” (Mateus 22, 21). Tudo que Deus me deu o dinheiro não compra: família, saúde, paz, amor, educação, amizades, talentos, experiências, oportunidades, discernimento, etc. É tanta coisa que este espaço não seria suficiente para listar e, mesmo que fosse, como disse Lulu Santos “o que eu ganho e o que eu perco ninguém precisa saber.”
De mais a mais, para quem tem fé, jamais se perde algo que vem de Deus, como explica sabiamente um trecho que ouvi no filme “Divino Processo” (Frank vs God, EUA, 2014): “Eu pedi forças e Deus me deu dificuldades para me fazer forte. Eu pedi sabedoria e Deus me deu problemas para resolver. Eu pedi amor e Deus me deu pessoas com defeitos e problemas para eu conviver e aceitar. Eu pedi coragem e Deus me deu desafios para enfrentar. Minhas preces foram atendidas! Eu pedi favores e Deus me deu oportunidades. Eu não recebi nada que pedi, mas Deus me deu tudo o que precisava.”
Assim, Deus não precisa me pagar nada. Eu é que estou com uma dívida impagável que faço questão de pagar o que for possível enquanto Ele me der condições e energia para tanto. Devo, não nego! Pagarei quando puder!

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...