ANO: 26 | Nº: 6527
29/12/2017 Universo Pet

Como dar os primeiros socorros e ajudar a salvar seu pet

Foto: Divulgação

Acidentes, sejam eles no trânsito, na rua ou em casa, podem acontecer com humanos ou com os pets. Em qualquer situação, é necessário procurar imediatamente o atendimento de um veterinário. A ação do tutor, neste momento, pode ser decisiva para salvar o animal.

A veterinária Lívia Azeredo ressalta que o mais importante é manter a calma. É necessário que o tutor preste atenção ao que aconteceu e consiga transmitir o máximo de informações ao veterinário. Em alguns casos, em que será necessário dirigir até a clínica, por exemplo, também é importante manter a calma durante o trajeto para evitar acidentes e não piorar a situação do animal.

Sangramento

A profissional explica que em situações em que o animal está sangrando muito deve-se tentar estancar o sangue, o que pode ser feito com um pano limpo. Em alguns casos, como acidentes de trânsito, por exemplo, o animal também pode ter uma queda de temperatura corporal. Nessas situações, o tutor pode deixar o animal próximo a uma bolsa de água quente.

Fratura

Lívia ressalta que em casos de fratura exposta é necessário encaminhar o pet no mesmo dia ao veterinário. Assim, os veterinários farão a limpeza e contenção e a recuperação será melhor. É importante que aquele que está prestando socorro ao animal nunca tente colocar o osso novamente no local. Além da falta de conhecimento sobre como deve ser realizado este procedimento, Lívia lembra que o animal já estará sentindo muita dor e não recebeu nenhuma anestesia. Para o transporte, o tutor pode tentar imobilizar o pet com um papelão ou plástico.

Envenenamento

Das opções para os tutores comprarem para manter em casa, a veterinária informa que, para casos de envenenamento, o carvão ativado pode ser uma boa opção. Alguns sintomas de envenenamento são a salivação em excesso, a pupila dilatada, convulsões e tremores.

É essencial que, caso perceba tais sintomas, o tutor encaminhe imediatamente o animal ao veterinário. Entretanto, em casos em que os dois estão distantes de uma clínica, o carvão pode ajudar, absorvendo a substância e evitando que ela espalhe-se pelo corpo do animal. A veterinária alerta, entretanto, que a ingestão do carvão precisa ser feita em até 30 minutos após a ingestão do veneno.

Vale lembrar, também, que o carvão não é eficiente para todas as substâncias. Ele não absorve estricnina, por exemplo.

O animal também pode ingerir objetos perigosos. Nestes casos, o veterinário tentará provocar o vômito do pet, caso ele seja atendido rapidamente. Em determinadas situações, conforme conta Lívia, como a ingestão de objetos pontiagudos ou de metal, se o atendimento não for feito na hora, o animal precisará passar por uma cirurgia.

Picada de cobra

As picadas de cobra também são mais comuns nesta época do ano. Nestes casos o animal deve ser levado ao veterinário assim que o tutor perceber o que aconteceu. Em locais mais afastados de clínicas veterinárias, Lívia comenta que é recomendado ter soro antiofídico subcutâneo. O efeito do remédio, entretanto, é demorado. Mesmo assim, pode ser uma medida para dar mais tempo, permitindo que o tutor encontre um veterinário.

Queimaduras

Acidentes envolvendo queimaduras com pets também podem acontecer, inclusive dentro de casa. Nessas situações, os tutores precisam lavar o local da queimadura com bastante água e não devem abafar o ferimento. Isto deve facilitar o cuidado do veterinário.

Lívia explica que as decisões tomadas pelo tutor quando o animal sofre um acidente são decisivas. “São segundos que salvam a vida deles”, comenta. Outra dica é manter salvo um contato do veterinário para pedir ajuda, especialmente fora do horário comercial. Nessas situações, é imprescindível manter a calma para passar informações ao profissional e para transportar o animal, além, também, de ajudar a acalmar o pet.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...