ANO: 25 | Nº: 6460
30/12/2017 Segurança

Delegado regional avalia segurança e apresenta perspectivas para 2018

Foto: Antônio Rocha

Um dos temas destacados é o trabalho de eficiência no combate à violência contra mulher
Um dos temas destacados é o trabalho de eficiência no combate à violência contra mulher

Em 2017, Bagé registrou 20 homicídios, o maior volume dos últimos 15 anos. Mesmo diante dos números, o delegado regional da Polícia Civil, Luís Eduardo Benites, tem uma perspectiva boa para 2018. Ele acredita que os projetos visando a educação serão eficientes no combate à criminalidade. “Quero envolver a Urcamp (Universidade da Região da Campanha) e os órgãos de segurança para realizar projetos beneficiando os bairros mais violentos da cidade, ouvir as necessidades e a comunidade é importante”, explica.
Outra perspectiva na área da segurança pública é fazer novas reformas para beneficiar os servidores e também a comunidade. “Estamos com a reforma na estrutura física da DPPA (Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento). Também estamos reformando um prédio que pertence ao governo estadual, para receber uma nova delegacia, que será na zona norte”, ressalta.
Benites destaca o trabalho de elucidação dos crimes contra vida, um dos destaques de 2017. “Tivemos 20 homicídios, dos quais, quase 100% foram elucidados e com a autoria definida. Houve investimento em investigação. Priorizamos a profissionalização dos servidores”, enfatiza.


Operações
O titular da 9ª Delegacia Regional de Polícia Civil observa que este ano foram combatidos os crimes de violência doméstica, roubos, delitos rurais e tráfico de drogas. “Tivemos muitas operações importantes, com prisões de líderes de facções, de pessoas envolvidas em violência de gênero, diversos acusados de abigeato e roubos. Essas ações auxiliaram muito”, avalia.
As denúncias da comunidade foi outro ponto positivo na ajuda do combate aos crimes. “A Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec) e a Brigada Militar foram auxiliadas pelas pessoas. A comercialização de entorpecentes é um dos crimes que mais crescem e quase todos os homicídios deste ano tiveram envolvimento com o tráfico. Então, como conseguimos chegar aos líderes, tivemos uma menor comercialização, tirando as drogas das ruas”, argumenta.
O delegado também destaca a Operação “Saia Justa”, que combateu a violência doméstica e de gênero, pela primeira vez na história da Polícia Civil. “Essa ação inédita, que teve todo apoio da 9ª Delegacia Regional, foi realizada pela Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), mostrando que a polícia está atenta e que a violência doméstica será combatida”, garante.
Benites destaca, ainda, a Força-Tarefa de Combate aos Crimes Rurais e Abigeato, que atuou em toda a região, garantindo, para Bagé, a Delegacia de Polícia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e de Abigeato (Decrab), ainda por ser instalada. “Já está atuando, pois estamos com a estrutura da regional sendo utilizada pelos agentes. Quero também enfatizar o grande trabalho do Acinser (Ações Integradas de Segurança Rural), que auxilia muito na fiscalização dos produtos de origem animal sem procedência”, complementa.


Demandas
O delegado salienta que há ainda um grande deficit em efetivo. “Estamos com pendências e precisamos de mais servidores, ainda com a eminência de que neste novo ano teremos muitas aposentadorias. Temos uma luz com este concurso, no qual entraram mais de mil agentes de segurança pública. Também haverá, posteriormente, para delegados, pois também estamos com número reduzido aqui na região. Temos todos delegados atuando em duas ou mais delegacias, acumulando trabalho”, informa.


Parceria
Benites menciona a atuação em conjunto com a Brigada Militar, “como o serviço de inteligência e o trabalho preventivo e ostensivo da BM, que ajudou a diminuir a criminalidade e tirar muitos entorpecentes da cidade, em uma parceria que deu certo entre as polícias”.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...