ANO: 24 | Nº: 6107
12/01/2018 Cidade

Mais de 800 bajeenses tiveram carteira de habilitação suspensa em 2017

Foto: Arquivo JM

A maioria das punições ocorre após os condutores serem pegos em operações da Balada Segura, dirigindo sob efeito de álcool
A maioria das punições ocorre após os condutores serem pegos em operações da Balada Segura, dirigindo sob efeito de álcool

Um total de 823 motoristas bajeenses teve Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH) suspensas em 2017. A informação foi passada pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RS), ontem. As estatísticas representam um aumento de aproximadamente 25% em consideração ao ano anterior, quando 660 condutores tiveram seus documentos suspensos no município.
As suspensões de CNH são aplicadas quando o condutor atinge 20 pontos no período de 12 meses ou comete alguma das infrações que preveem essa penalidade. Desde 2016, mais de 1,6 mil processos de suspensão foram abertos em Bagé, sendo 1.047 em 2016 e 621 no ano passado.
No Rio Grande do Sul, cerca de 60% dos casos de suspensão, nos últimos dois anos, foram por dirigir sob o efeito de álcool, exceder a velocidade em mais de 50% da velocidade permitida, praticar racha ou fugir de blitz.

Documentos cassados
Desde que começou a aplicar a penalidade de cassação do direito de dirigir, em 2013, o Detran/RS vem aumentando o número de motoristas penalizados no Estado. Nos últimos dois anos, 78 motoristas tiveram suas carteiras cassadas em Bagé. Neste mesmo período, 91 processos de cassação foram abertos.
O maior número de casos de cassação no Estado, (94%) foi de motoristas flagrados dirigindo com o a CNH suspensa. Outros 6% tiveram a CNH cassada por reincidência em infrações específicas, ou seja, foram flagrados na mesma infração grave no período de 12 meses.
Para recuperar o direito de dirigir, os motoristas cassados deverão ficar dois anos sem habilitação, fazer o curso e prova de reciclagem, exame médico e psicológico, além da prova prática.


Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul possui hoje 81,2 mil motoristas com direito de dirigir suspenso e 27,3 mil condutores cassados, totalizando 108,5 mil CNHs irregulares. Esses condutores sofreram processo nos últimos cinco anos, foram penalizados, mas ainda não cumpriram todas as etapas para recuperar o direito de dirigir.
Destes condutores, 72,2 mil já iniciaram o cumprimento da penalidade (entregaram a CNH em um Centro de Formação de Condutores e se encontram em alguma das etapas para regularizar a CNH). São 20,1 mil condutores cumprindo a cassação e 52,2 cumprindo a suspensão.
“Restam aí 36 mil que foram penalizados e não iniciaram o cumprimento da penalidade. Uma parte desses condutores, possivelmente, não tem interesse em recuperar o direito de dirigir. Mas parte deles está dirigindo irregularmente. Estes serão flagrados pela fiscalização e retirados de circulação. Onde falham os filtros sociais da consciência e da educação, a fiscalização deve agir. E o Detran/RS também está preparado para aplicar as penalidades no Código. A impunidade não tem vez no Rio Grande do Sul”, alerta o diretor-geral do Detran RS, Ildo Mário Szinvelski.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...