ANO: 25 | Nº: 6354
13/01/2018 Cidade

Arquivo Público receberá exposição em homenagem a São Sebastião

Foto: Divulgação

Cavalgada está em sua 14ª edição
Cavalgada está em sua 14ª edição

A história da Catedral de São Sebastião e das comemorações em homenagem ao padroeiro de Bagé será tema da exposição lançada, na terça-feira, no Arquivo Público Municipal Tarcísio Taborda. A mostra ficará aberta ao público até o fim deste mês, com horário de visitação das 8h às 14h, de segunda a sexta-feira. 
Conforme a responsável pela exposição, Brunna Ayres, a iniciativa faz parte das comemorações relacionadas ao feriado do dia 20 de janeiro, data que celebra a memória do padroeiro.
Serão expostos painéis com fotos e textos, entregues ao Arquivo Público pelo assessor da diocese de Bagé, Sávio Machado, diretor executivo da Companhia de Comédias Bufões da Rainha. Brunna salienta que grande parte do acervo do Arquivo Público é composta por contribuições particulares, o órgão aceita doações de quaisquer materiais históricos.
Os painéis contam a história de São Sebastião, da Catedral que leva seu nome, da imagem do santo e das cavalgadas, missas e procissões em sua homenagem. A mostra também terá fotografias com todos os bispos da diocese de Bagé e antigas imagens da Catedral, após o cerco de 1894.
Machado explica que os materiais são provenientes de recortes de jornais, materiais jurídicos, cópias de estudos do historiador Tarcísio Taborda e livros de fotografias.
O assessor da diocese revela que o material da exposição também foi realizado a partir de cópias de documentos feitos por ele durante o tempo que esteve sob a direção da Casa de Cultura Pedro Wayne.


Padroeiro de Bagé
Após Dom Diogo de Souza sentar acampamento em Bagé, em 1811, os militares que ainda estavam na vila de São Sebastião se transferiram para a cidade. Entretanto, a imagem do santo, que então estava abrigada na capela da vila, atual distrito de Torquato Severo, permaneceu no prédio. Contudo, os militares perceberam a intensa religiosidade dos moradores do novo vilarejo e resolveram resgatar o santo, padroeiro dos militares.
O translado da imagem ocorreu em 20 de janeiro de 1812, dia de São Sebastião, quando a nova povoação contava apenas seis meses e três dias de fundada. A imagem foi depositada em uma capelinha de palha erigida no espaço da Praça Carlos Telles, em frente a atual Igreja Matriz Catedral de São Sebastião.
Machado conta que as primeiras homenagens a São Sebastião, em Bagé, aconteceram em 1813 e somente foram interrompidas, em torno do ano de 1884 e durante a Revolução de 1893. Após a Revolução Federalista, as comemorações retornaram.

Cavalgada
Em 20 de janeiro é comemorado o Dia de São Sebastião, com feriado municipal em Bagé e festiva programação com Novena de Orações e Solene Liturgia na Catedral de São Sebastião. A Cavalgada Histórica de São Sebastião é promovida, desde 2004, pela Mitra Diocesana e pela Associação dos Cavaleiros Rainha da Fronteira. Nela, os cavaleiros refazem o trajeto de 38 quilômetros até a Guarda de São Sebastião, onde acontece missa campal e grande quermesse. De lá, partem de volta trazendo a imagem do santo padroeiro até o centro da cidade, onde os fiéis se concentram para a grande procissão até a Igreja Matriz.

História de São Sebastião
São Sebastião foi soldado romano no fim do século III. Nasceu na França, tornando-se cidadão romano mais tarde, fazendo parte da guarda Imperial de Diocleciano, último Imperador Romano a perseguir os cristãos. Diocleciano tentou convencê-lo, através de ameaças, mas não conseguiu fazê-lo desistir da ideia de defender os cristãos. Sebastião foi preso e entregue a um pelotão de soldados que o amarraram a uma árvore e o executaram com golpes de flechas.
Abandonado como morto, São Sebastião foi socorrido por alguns fiéis. Cumprindo o que lhe vinha da alma, procurou ele mesmo o imperador, que mal acreditou em vê-lo forte e saudável e, ainda por cima, pedindo-lhe que parasse de perseguir os cristãos. Irado, Diocleciano mandou prendê-lo e ser massacrado. São Sebastião foi executado então com pauladas e boladas de chumbo.
Foi sepultado na Via Ápia antiga, em Roma, na Itália. No local, tempos depois, foi edificada a Basílica de São Sebastião. Seu culto se espalhou pelo mundo, com milhares de devotos e com centenas de igrejas em sua homenagem.
No Brasil existem 298 paróquias que tem São Sebastião como padroeiro. Ele é invocado contra a peste, a fome e a guerra. O santo também tem o título de “Patrono dos Soldados”, tanto no Brasil quanto em Portugal.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...