ANO: 25 | Nº: 6255

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
13/01/2018 Airton Gusmão (Opinião)

O testemunho de São Sebastião para nós hoje

Um dia destes, falando sobre a programação da Novena e Festa de São Sebastião, alguém perguntava: Por que vocês celebram São Sebastião? Qual o sentido desta festa? São importantes as perguntas. Elas precisam acontecer e devem provocar reações, discernimentos, questionamentos pessoais, eclesiais e sociais e, também, o despertar de opções e caminhos a serem percorridos.
Diante do testemunho de João Batista que diz, olhando para Jesus, “Eis o Cordeiro de Deus”, alguns dos seus discípulos seguem a Jesus, que pergunta a eles sobre o que estão procurando; e eles respondem perguntando: “Mestre, onde moras?”. Esta experiência de estarem com o Senhor fez com que um deles, André, dissesse a Simão: “Encontramos o Senhor”. André conduz Simão a Jesus, que diz a este: “Tu és Simão, tu serás chamado Cefas” (Jo 1,35-42).
Sobre o testemunho dos Apóstolos e Santos, o Documento de Aparecida nos diz o seguinte: “A vida dos apóstolos e santos são lugares privilegiados de encontro com Jesus Cristo. Seu testemunho se mantém vigente e seus ensinamentos inspiram o ser e ação das comunidades cristãs. Nossas comunidades reconhecem o testemunho cristão de tantos homens e mulheres que espalharam as sementes do Evangelho, vivendo valentemente sua fé, inclusive derramando seu sangue como mártires. Seus exemplos de vida e santidade constituem um presente precioso para o caminho cristão hoje e um estímulo para imitar suas virtudes em novas expressões culturais da história” (nº 273 e 275).
São Sebastião teria nascido provavelmente por volta do ano 256 e sua morte deve ter acontecido entre os anos de 287 e 304. Ele era de uma família católica praticante e, vendo as perseguições que os cristãos passavam, resolvera alistar-se no exército para melhor servir aos irmãos. Visitava os cristãos, vítimas do ódio e rancor, animando aqueles que receberiam o martírio e a permanecerem firmes na fé.
O Imperador Diocleciano exige que Sebastião pare de atender os cristãos encarcerados e renuncie a fé cristã. Ele, porém, permanece firme na sua fé e, por isso, é condenado a ser morto por flechas. Porém, ele sobrevive e comparece diante do imperador. Este ordena a sua prisão e morte imediata. Seu exemplo de vida dedicada aos sofredores e perseguidos e, seu amor à Igreja, fizeram com que fosse elevado como modelo para todos os tempos, de amor a Cristo e aos irmãos.
De 11 a 19 deste mês estará acontecendo na Igreja Catedral, com o tema: “São Sebastião e a superação da violência”, a Novena de São Sebastião, sempre às 20h e, dia 20, teremos a procissão desde a Igreja Nossa Senhora da Conceição até a Catedral, onde haverá a Missa solene presidida pelo nosso Bispo Dom Gílio Felício.
Aprendamos do testemunho de São Sebastião que nos fala hoje de Jesus Cristo, que continua nos perguntando: “O que estão procurando?”. Demos a nossa resposta com o nosso testemunho cristão. Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...