ANO: 26 | Nº: 6573
13/01/2018 Fogo cruzado

Prefeito e vice assumem secretarias em Hulha Negra

Foto: Arquivo JM

Progressista assumiu secretaria de Obras e Serviços Públicos
Progressista assumiu secretaria de Obras e Serviços Públicos

O primeiro escalão do governo de Hulha Negra tem nova composição. O prefeito Renato Machado, do Progressistas, assumiu a secretaria de Obras e Serviços Públicos. O vice-prefeito, Igor Ballejo Canto, do PDT, é o novo secretário da saúde. A composição deve ser mantida por 90 dias, conforme adianta o chefe do Executivo.
Machado explica que a medida vai representar redução de gastos no primeiro semestre do ano. A principal alteração ocorreu na pasta da Saúde, assumida pelo vice-prefeito, que antes respondia pela secretaria de Obras. O secretário Volney Jorge, uma liderança da Família de Deus, se afastou para se dedicar às questões da igreja.
A estrutura administrativa de Hulha Negra é enxuta. O município conta com secretaria de Saúde, de Obras, de Assistência Social, de Educação e Cultura, e de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente. Quatro partidos integram o governo: PP, PDT, PRB e PSC. De acordo com Machado, entretanto, a base ainda não deliberou sobre a eventual recomposição, que pode ocorrer no final de março, especificamente nas pastas da Saúde e Obras.


Estiagem preocupa

O chefe do Executivo adianta que a secretaria de Obras demanda atenção especial, diante do cenário de racionamento. Hulha Negra ainda não conta com barragem. O abastecimento é feito por poços artesianos. Antes da estiagem, oito unidades forneciam cerca de 50 mil litros por hora. A prefeitura, agora, administra apenas a metade destas estruturas. “Hoje temos quatro poços fornecendo água. A vazão caiu para 30 mil litros por hora”, detalha Machado.
A prefeitura avalia a possibilidade de utilizar a água de poços localizados no bairro Floresta. A preocupação é com o índice de flúor, que demandará atenção especial ao tratamento do recurso, hoje distribuído por caminhões aos reservatórios de água do município. A solução para a crise do abastecimento, na avaliação do progressista, passa por uma minuta firmada com a Engie, que pode viabilizar a utilização da barragem que servirá para a UTE Pampa Sul. 
As tratativas com a empresa, segundo o progressista, estão avançadas, com boas perspectivas para 2019, quando a usina termelétrica a carvão deve entrar em operação, em Seival, no município de Candiota. “A água será levada até a Trigolândia. A prefeitura de Hulha Negra deverá construir uma adutora para distribuir na sede. Nossa esperança, com este projeto, é resolver o problema até o final de 2018”, desabafa Machado.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...