ANO: 25 | Nº: 6358
18/01/2018 Campo e Negócios

Temporada de ovinos requer cuidados de manejo e sanidade

O Rio Grande do Sul passa, neste mês de janeiro, pela época de feiras e leilões de ovinos, eventos importantes especialmente para a economia da Metade Sul. Nos últimos anos a ovinocultura vem ganhando atenção especial dos governos e entidades do setor agropecuário. Para os médicos veterinários, também é um momento de esclarecimentos e preocupações no que diz respeito à sanidade do rebanho gaúcho.
Conforme o delegado do Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Rio Grande do Sul (Simvet/RS), João Júnior, esta é uma época fundamental no preparo dos animais para a estação reprodutiva. "É muito importante que os exemplares estejam com a vermifugação em dia, uma alimentação balanceada e é essencial estar também com o sal mineral administrado para que ele consiga ter uma boa produção espermática e trabalhe melhor o rebanho", destaca.
O especialista salienta que também é necessário inspecionar a boca dos animais para ver se não tem nenhum problema e os mesmos consigam comer normalmente o pasto e tenham uma maior conversão alimentar. "Sobre a verminose, é uma época crítica, aconselho fazer o teste de Famacha, onde se olha a mucosa para saber se é prudente desverminar. Este é o momento de se utilizar vermífugos mais fortes, uma vez que as fêmeas, especialmente, ainda não estão prenhes", observa.
Para as fêmeas o delegado do Simvet/RS afirma que é preciso um cuidado especial com a alimentação. "Se utilizarmos 15 dias antes da estação de reprodução uma alimentação mais energética conseguiremos um incremento nas taxas de natalidade, com um simples manejo temos mais produtividade, o que acaba permitindo que a fêmea ganhe peso e entre melhor na estação", salienta.
Outra informação importante, de acordo com o especialista, é que sempre antes da estação reprodutiva é importante verificar os cascos dos animais para fazer o casqueamento preventivo a fim de evitar a podridão dos cascos em época de chuvas.
Júnior ressalta que até o dia 15 de abril é obrigatório apresentar na Inspetoria Veterinária a nota fiscal da compra de piolhicidas e sarnicidas para ovinos. "O produtor precisa aplicar estes produtos nos seus ovinos. Já em feiras é obrigatório o produtor fazer o teste de epidedimite (com exceção ao mês de janeiro deste ano), que é a brucelose dos ovinos. O produtor deve apresentar o exame e o certificado de negativo para entrar em feiras", enfatiza.
A presidente do Simvet/RS, Angélica Zollin, reforça que a Secretaria Estadual da Agricultura possui um programa bastante eficiente de sanidade ovina, e que este programa preconiza que todos os animais sejam investigados referente à epididimite, que, mesmo sendo uma doença que está com uma taxa baixa de incidência, pode comprometer todo o rebanho. "Este programa não está sendo colocado em prática neste período das feiras por falta de insumos para a realização dos testes. Isto poderá trazer, posteriormente, comprometimento na sanidade, tendo em vista o contato íntimo dos animais. Alertamos a secretaria que se há um programa ativo e funcionando muito bem este deverá ser mantido e tratado com responsabilidade pelas autoridades. Não podemos esquecer que o Estado levou mais de 40 anos para ter esta enfermidade controlada", complementa.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...