ANO: 25 | Nº: 6379
23/01/2018 Cidade

Escolas privadas enfrentam dificuldade para oferecer terceiro ano do Ensino Médio

Foto: Reprodução JM

Colégio Espírito Santo terá apenas uma turma
Colégio Espírito Santo terá apenas uma turma

Com a inclusão do nono ano no ensino fundamental, que ocorreu a partir de 2016, o ano letivo de 2018 irá se tornar atípico para as duas escolas particulares de Ensino Médio de Bagé. O Colégio Nossa Senhora Auxiliadora não irá oferecer o terceiro ano do Ensino Médio, enquanto o Colégio Franciscano Espírito Santo teve a redução no número de alunos e irá oferecer apenas uma turma.
Conforme a diretora do Colégio Espírito Santo, Maria Ana Klein, a partir de 2019, o número de alunos será normalizado. Ela explica que mesmo com a redução de estudantes para esta série, a implementação do nono ano foi positiva.
A diretora salienta que o nono ano permite o ingresso mais cedo na escola, em compensação, os alunos saem mais maduros e o conteúdo é dividido e mais aprofundado. “Realizamos uma adaptação curricular e os estudantes saem da escola com uma preparação melhor para enfrentar a universidade”, disse.
No Colégio Auxiliadora, a situação de dificuldade iniciou em 2017. A escola não ofereceu o segundo ano do Ensino Médio e por consequência, este ano não terá formandos do Ensino Médio.
De acordo com a diretora executiva do colégio, Rose Dóglia, a possibilidade é de que em 2019 diminua o número de alunos que irão ingressar principalmente nas universidades privadas. “Nas escolas, o tempo regulariza a partir do próximo ano”, disse.
Para a diretora, o ideal seria que o aumento de série tivesse sido no Ensino Médio e não no fundamental, porque além de fortalecer e dividir o conteúdo, daria uma preparação maior para o ingresso na universidade. “Os adolescentes saem da escola sem condições de escolher entre essa gama, cada vez maior de profissões, e muito imaturos”, salienta.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...