ANO: 25 | Nº: 6312

Rosane Coutinho

26/01/2018 Caderno Ellas

Compulsão alimentar

Foto: Divulgação

Nutricionista Ana Paula Pereira
Nutricionista Ana Paula Pereira

Muitas pessoas costumam exagerar na alimentação em certas ocasiões, principalmente em eventos, datas especiais ou quando se gosta muito da comida. Isso não é um problema nem pode ser considerado uma compulsão alimentar. A compulsão é um exagero que se repete com muita frequência ou até quando você costuma comer até passar mal. Não se controlar com os aperitivos ou comer uma barra de chocolate de uma só vez podem ser preocupantes se acontecerem com muita frequência. Trata-se de uma síndrome caracterizada por uma grande ingestão de alimento em tempo delimitado (período de 2 horas), acompanhado pela perda de controle sobre o que ou o quanto se come.

Causas

Existem alguns problemas que podem favorecer a compulsão alimentar. São eles:

  • Dieta realizada de forma errada
  • Estresse
  • Problemas com a imagem corporal
  • Problemas emocionais mais graves são fatores de risco

A compulsão alimentar afeta homens e mulheres de todas as idades.


Alguns fatores de risco são:

  • A maioria das pessoas começa a comer compulsivamente após um período de dieta
  • A maioria das pessoas tem dificuldade em expressar suas necessidades
  • A maioria das pessoas tem baixa autoestima
  • Estar mais exposto a possíveis comentários externos sobre seu corpo, peso e alimentação, como um atleta de elite.


Sinais de compulsão alimentar:

● Ingerir uma quantidade excessiva de comida, mesmo quando não tiver fome;

● Comer até se sentir desconfortavelmente cheio ou mesmo agoniado;

● Esconder hábitos alimentares devido à vergonha ou embaraço;

● Esconder comida para episódios de voracidade;

● Esconder embalagens vazias ou caixas de alimentos;

● Comer constantemente enquanto houver comida disponível;

● Comer quando está sob pressão ou se sente psicologicamente diminuído (a);

● Sentir-se envergonhado (a) e/ou culpado (a) durante e/ou depois de um episódio de voracidade;

● Exprimir repugnância em relação a hábitos alimentares, peso, corpo ou aparência;

● Expressar descontentamento com a aparência, peso ou autoestima.

 

Pessoas com compulsão alimentar podem fazer comentários como:

  • “Eu não consigo me controlar”
  • “Sei que meus familiares vão sair, por isso, vou inventar uma desculpa para ficar em casa e comer”
  • “Estou com vergonha de mim mesmo por fazer isso, sei que é errado enquanto estou comendo, mas eu continuo. A comida está controlando minha vida”
  • “Eu como adequadamente diante dos outros, mas chego em casa e como muito quando ninguém está vendo”
  • “Vou sempre para a geladeira em busca de algo”.


Consequências:

Como consequência, 75% das pessoas com esse distúrbio químico nos mecanismos da saciedade ganham muito peso, pois consomem mais calorias do que precisam por dia, principalmente na forma de doces e gorduras. 

Aquelas que não engordam têm compensação calórica inconsciente ou um metabolismo muito bom. Além disso, muitos indivíduos compulsivos também sofrem de depressão, ansiedade e outros transtornos psíquicos.

Alguns pacientes chegam a comer alimentos crus ou congelados, não por prazer, mas por descontrole. E, num prazo curto de 2 horas, essa ingestão pode chegar a 15 mil calorias, sendo que um adulto normal precisa em média de 2 mil calorias por dia para viver.

A compulsão também pode estar associada a um transtorno bipolar e a uma personalidade de excessos, como acontece com compras e drogas, por exemplo. E os episódios de "ataque" são mais frequentes no fim da tarde e à noite, quando a pessoa chega a consumir até 50% das calorias totais daquele dia.
(Continua na próxima edição.)

Nutricionista Ana Paula Pereira

Marechal Floriano, 1414 | 53 3312-1937

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...