ANO: 25 | Nº: 6282
26/01/2018 Fogo cruzado

Hulha Negra decreta situação de emergência em função da estiagem

Foto: Joanes Araujo/Especial JM

Machado acompanha todo processo burocrático
Machado acompanha todo processo burocrático

O prefeito de Hulha Negra, Renato Machado, do PP, decretou, ontem, situação de emergência em toda a área rural e urbana, afetadas pela estiagem desde o final do ano passado. De acordo com levantamento elaborado pelo escritório municipal da Emater-RS/Ascar, o município apresenta perdas na cultura da soja, leite, sorgo e milho. O prejuízo total de perdas agropecuárias, segundo o laudo, ultrapassa a casa de R$ 8 milhões. Apenas na pecuária, o montante totaliza R$ 644.423,25.
Dentre os impactos citados pelo chefe do Executivo está a perda significativa na agricultura e agropecuária, o comprometimento dos níveis de açudes, reservatórios e de bebedouros que abastecem as áreas rurais e urbanas, e grandes dificuldades da população no abastecimento de água para consumo humano e animal. A falta de chuva preocupa, pois o montante dos últimos três meses totalizou apenas 133 milímetros, muito abaixo dos 343 milímetros contabilizados na mesma época nos últimos 25 anos.


Homologação
O decreto de emergência foi assinado ontem, concluído o envio de informações para Defesa Civil Nacional para homologação e publicação no Diário Oficial. O pedido aguarda apenas a homologação. A força-tarefa contou com a presença do Major Rinaldo da Silva Castro e do Sargento Adão Roberto Rodrigues de Rodrigues, responsáveis pela Coordenadoria Regional de Proteção e Defesa Civil (Crepdec 6), com sede em Uruguaiana.


Impacto social

De acordo com levantamento da Emater-RS/Ascar, os açudes estão com suas capacidades reduzidas, não tendo condições de atender o consumo humano e nem o animal, sendo também inviável a irrigação de lavoura. Os prejuízos econômicos e sociais já atingem mais de 1,2 mil propriedades rurais, sendo que destas mais de 800 são pequenas propriedades em assentamentos com áreas em torno de 20 hectares, onde a principal atividade é a pecuária leiteira. “Este quadro se agrava a cada dia mais, visto que nos meses anteriores tivemos chuva abaixo do normal para a época”, relatou o prefeito Renato Machado.


Abastecimento

A prefeitura busca manter o cronograma de entrega de água potável no interior. A ação contempla cerca de 250 pontos de entrega, durante os sete dias da semana. “É um trabalho que realizamos o ano inteiro, mas estamos intensificando agora devido à situação”, explica Machado, acrescentando que “a partir do decreto poderemos angariar recursos em outras esferas para combater a estiagem”.
Na sede do município, mais de 1,1 mil famílias são abastecidas com água potável dos quatro poços artesianos. Atualmente, de acordo com a prefeitura, é preciso fazer o remanejamento de água por causa da pouca vazão dos poços artesianos. Nessas ações são utilizados dois caminhões e um trator pipa. Apesar dos esforços do Executivo, o racionamento de água obedece a um cronograma de 12 horas.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...