ANO: 25 | Nº: 6312
26/01/2018 Cidade

Vice-presidente e Corregedora de Justiça entregam selo Mérito Justiça Gaúcha para comarca de Bagé

Foto: Antônio Rocha

Íris Helena e Lessa entregam reconhecimento para 1ª Vara Criminal de Bagé
Íris Helena e Lessa entregam reconhecimento para 1ª Vara Criminal de Bagé

Representantes da Comarca de Bagé receberam, ontem, uma distinção por mérito no cumprimento de metas estipuladas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O troféu foi entregue para duas varas de Bagé e uma de Santana do Livramento pelas mãos do desembargador Paulo Roberto Lessa Franz, vice-presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS), e da corregedora-geral da Justiça, desembargadora Íris Helena Medeiros Nogueira.
O prêmio destaca as varas que julgaram um número maior do que o montante de processos que ingressaram. Também são reconhecidas aquelas em que foram julgados até 80% de processos residuais que ingressaram até o final de 2012.
Os premiados foram escolhidos com base nos dados estatísticos de produtividade de cada unidade jurisdicional do Estado. Receberam a distinção a 1ª Vara Criminal e a Vara do Juizado Especial Cível (JEC) da Comarca de Bagé. Quem recebeu as homenagens foram o juiz Cristian Prestes Delabary e os escrivães Odilamar Nogueira, da 1ª Vara, e Rita Gládis Leite, da JEC. Representantes da 1ª Vara Cível da Comarca de Santana do Livramento também receberam.
O diretor do foro de Bagé, o juiz Ricardo Pereira de Pereira, destacou a enorme satisfação em receber não apenas as homenagens para as varas da comarca representada por Bagé, como também pela presença de Lessa e Íris Helena. “Neste momento, recebemos essa homenagem às nossas unidades jurisdicionais, como um destaque que é fruto do trabalho por termos alcançado as metas estabelecidas pelo CNJ. Espero que esse reconhecimento sirva, também, como um incentivo para a contínua qualificação de nosso trabalho”, disse.
A desembargadora Íris Helena Nogueira afirmou que integrar a administração do Tribunal de Justiça é gratificante principalmente em momentos como esse, em que é possível apontar as unidades que prestam jurisdição de qualidade e prezam pela boa gestão. “Isso é fruto de toda dedicação dos juízes e servidores, não apenas em busca de metas, mas também qualificação do serviço prestado”, destaca.
O desembargador Lessa, destacou que as metas 1 e 2 do CNJ, em que se baseiam os critérios de premiação, são relacionadas à vazão processual e reflete o esforço do trabalho dos servidores. “O trabalho servirá de modelo a todos os servidores”, afirma.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...