ANO: 25 | Nº: 6382
01/02/2018 Cidade

Cooperativa ProAtiva vai manter atividades na UPA e no Samu

Foto: Antônio Rocha

Mena garante a redução de R$1,2 milhões no ano
Mena garante a redução de R$1,2 milhões no ano

A Secretaria Municipal de Saúde e Atenção à Pessoa (Saúde) assinou, ontem, o contrato com a Cooperativa de Trabalho de Profissionais da Área de Saúde Ltda. (ProAtiva), de Porto Alegre, vencedora do processo licitatório para a prestação de serviços na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A licitação havia sido suspensa no dia 12 janeiro, porque uma das empresas que concorreu questionava aspectos do certame. Após todas as diligências, foi definida a vencedora.
De acordo com o secretário de Saúde, Mário Mena Kalil, em nenhum momento o serviço foi suspenso e a empresa deverá manter a mesma equipe que já atua na UPA e no Samu. “Haverá algumas mudanças em virtude de transferências do pessoal do Exército, mas as vagas serão supridas por outros militares”, relata.
De acordo com o representante da ProAtiva, Luciano Barboza, a cooperativa é exclusivamente voltada para a área da saúde e conta com cerca de 850 cooperativados em todo o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Barboza ressalta que, na fronteira Oeste, a empresa já atende o Samu. Ele destaca, ainda, que presta serviço em outros 23 municípios do Estado.
O representante informa que a cooperativa já iniciou a prestação do serviço e que serão mantidas as escalas profissionais. Segundo ele, o próximo passo será montar uma estrutura administrativa em Bagé. O contrato foi assinado por 12 meses, podendo ser prorrogado por mais quatro anos.
O valor disponibilizado pela prefeitura será de R$ 520.206,40 mensais para os dois serviços. Mena enfatiza que a licitação foi pelo menor preço e o município irá economizar em torno de R$ 1,2 milhão no ano.
A ProAtiva deve disponibilizar seis profissionais por dia, sendo dois na Samu e quatro na UPA. O edital previa pediatras, clínicos e emergencistas, alguns com treinamento em regulação. A empresa deve suprir a demanda média de 1,2 mil chamadas no Samu e mais de 7,5 mil na UPA 24 horas. No contrato anterior, a secretaria pagava R$ 205.364,10 pelos profissionais que atendem o Samu e R$ 410.728,17 pelo serviço da UPA.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...