ANO: 24 | Nº: 6038

Daiane Alves Lima

daiane.lima.bg@gmail.com
02/02/2018 Universo Pet

O verão e o cuidado com os parasitas

Foto: Divulgação

O calor e as chuvas são as condições propícias para acasalamento e procriação de parasitas. E é por isso, que os tutores de gatos e cachorros podem ter mais problemas com infestações de pulgas e carrapatos neste período do ano. Mesmo com o aumento destes animais, é possível proteger seu pet e, até mesmo, acabar com as pulgas em casa e evitar que os amigos de quatro patas sejam pegos novamente.

O veterinário Roberto da Silva, conta que um das ações que devem ser feitas é manter o pátio limpo, dedetizando o ambiente a cada dois meses. “Serve para evitar pulgas, carrapatos e vermes”, comenta.

Outras formas de livrar-se dos parasitas é utilizando coleiras antipulga, remédios injetáveis ou orais, além do banho medicamentoso. O profissional destaca que a escolha do remédio deve ser feita com o auxílio de um veterinário. Isto, porque é preciso estar atento ao peso e idade do animal, para evitar intoxicação.

Silva também explica que, no geral, 20% ou 30% dos parasitas estão no animal e 70%, no ambiente. Assim, a pulverização também é uma opção para acabar com a infestação, assim como a vassoura de fogo, que também pode ser feita a cada dois meses. O profissional relata que também é possível plantar citronela, um repelente natural. Outra dica é evitar lugares com muitos pássaros, que também podem acabar transmitindo os parasitas por meio de suas patas.

O controle das pulgas e carrapatos é importante porque eles também podem transmitir e provocar doenças nos pets. As pulgas podem causar dermatite alérgica, que pode levar a perda de pelos. Elas também podem causar vermes, especialmente pulmonares.

Os carrapatos são mais raros em gatos, pelo comportamento felino. Silva explica que eles também são vetores de parasitas, especialmente para os cães. Os carrapatos podem transmitir erliquiose canina, babesiose e anaplasmose, por exemplo. Em alguns casos, as doenças transmitidas podem ser letais. Alguns dos sintomas, nos cães, podem ser a apatia, anemia e falta de apetite.

O profissional explica também que residências com pátio são ambientes melhores para a proliferação de pulgas e carrapatos, diferente de apartamentos. Ele conta também que pisos frios são melhores para evitar a disseminação. Em casos de infestação, Silva ressalta que é necessário fazer a limpeza do local com uma frequência menor. O uso de bons remédios também colabora para a erradicação do parasita.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...