ANO: 254 | Nº: 6355

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
03/02/2018 José Artur Maruri (Opinião)

No reino em construção

Com a notícia de mais um homicídio em nossa cidade, na última semana, somos remetidos a buscar um olhar mais acurado no que diz respeito a esse ato nefasto que parece estar se banalizando em solo brasileiro.
Em informação veiculada pelo Diário de Pernambuco, ainda em dezembro de 2017, descobrimos que, em 2016, o Brasil chegou à marca de 61,6 mil homicídios no ano. Para se ter uma noção, se somarmos o número total de assassinatos na Europa inteira, Estados Unidos e China; o Brasil ainda leva uma vantagem de quase 13 mil mortos.
Os números são ainda mais alarmantes quando se leva em consideração a dimensão populacional. A China, por si só, tem uma população quase cinco vezes maior e índices de crimes violentos quase seis vezes menor.
Até em comparação com países subdesenvolvidos como a Indonésia, com 253 milhões de habitantes, o Brasil leva uma vantagem de mais de 60 mil vítimas no ano. Se somarmos os números de vítimas do México, África do Sul, Colômbia e Paquistão, ainda levamos uma vantagem de quase oito mil mortos.
Dentre os países em desenvolvimento, apenas a Índia tem números próximos aos brasileiros. Foram 41,6 mil mortes violentas contra 59 mil no Brasil (em 2015). Ainda assim, a população da Índia é seis vezes maior que a brasileira.
Já nos foi dito pelo espírito Adolfo, Bispo de Alger, na obra O Evangelho Segundo o Espiritismo, que “ninguém tem o direito, em caso algum, de atentar contar a vida de seu semelhante. Isso é um crime aos olhos de Deus, que vos determinou a linha de conduta”.
O espírito disse mais:
“Enquanto uma gota de sangue correr na Terra pelas mãos dos homens, o verdadeiro Reino de Deus ainda não terá chegado, esse reino de pacificação e de amor, que deve banir para sempre do vosso globo a animosidade, a discórdia e a guerra”.
Também, não podemos desconsiderar que reencarnamos num mundo de provas e expiações, como bem disse o espírito Emmanuel, benfeitor espiritual do inolvidável Francisco Cândido Xavier, estamos num “reino em construção”.
Ainda que nos deparemos com o pessimismo do mundo, dado pelos fatos que nos deparamos e superlativado pelos veículos de comunicação, o que leva o indivíduo açodado a concluir que a Terra está perdida.
Porém, muito bem relaciona Emmanuel, que devemos observar as multidões que se esforçam silenciosamente pela santificação do porvir. O benfeitor amigo pede que recordemos os milhões de pais e mães, tocados de abnegação e heroísmo, que abraçam todos os sacrifícios no lar para que a delinquência desapareça.
Até mesmo quando os jovens são atacados apontados como os grandes causadores dos malefícios, com o apregoamento, até mesmo, da redução da maioridade penal, é importante lembrar que milhões de rapazes e meninas estão debruçados sobre livros e máquinas, através do labor e do estudo, em muitas circunstâncias imolando o próprio corpo a fadiga precoce, para integrarem dignamente a legião do progresso.
Ainda que nos deparemos com o noticiário triste, não podemos condenar a Terra pelo desequilíbrio de alguns.
Fiquemos com o conselho de Emmanuel e meditemos no mundo de regeneração que já se descortina no porvir.
“Medita em todos os que se encontram suando e sofrendo, lutando e amando, no levantamento do futuro melhor, e reconhecerás que o divino Construtor do reino de Deus no mundo está esperando também por ti”.

(Referências: Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 12. Item 12. Francisco Cândido Xavier. Emmanuel. Reformador. Maio 1963, p. 114. http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/brasil/2017/12/04/interna_brasil,733299/numero-de-homicidios-no-brasil-supera-outros-52-paises-somados.shtml. Acesso em 02/02/2018)

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...