ANO: 24 | Nº: 6011

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
05/02/2018 Caderno Minuano Saúde

A importância dos tratamentos dentários

Foto: Divulgação

 

Cuidar da saúde bucal é fundamental em qualquer idade, seja criança ou adulto. Cada fase da vida exige cuidados diferentes e, por isso, é preciso ficar atento às próprias necessidades e também às das crianças. Enquanto que os pequenos correm mais riscos de cáries por comer guloseimas, os adultos devem cuidar com a degradação dos dentes de acordo com o avanço da idade e a perda óssea.

Ter um bom plano de saúde, frequentar o dentista a cada seis meses, manter hábitos de higiene e outras atitudes garantem não apenas um sorriso bonito e dentes mais saudáveis, mas também evitam a perda óssea e os problemas gerados pela idade. Ninguém quer substituir a arcada dentária por dentadura, certo? Para quem cuida dos dentes da forma correta, é possível retardar muito a perda dentária durante a velhice e manter os dentes saudáveis por mais tempo.

Diversos são os tratamentos dentários, pois há os cuidados com a saúde bucal, com a estética e até mesmo com questões de saúde de outras partes do corpo que os dentes influenciam.

Nesta edição, iremos conhecer os tratamentos de canal, obturações, odontologia estética e também os ajustes dentários (colocação de aparelhos), com as cirurgiãs-dentistas Cecília Guimarães, Viviane Renner e Michele Guimarães.

 

Conheça três especialidades da odontologia

A cirurgiã-dentista especialista em prótese dentária, prótese sobre implante estética e lentes de contato dentárias Viviane Guimarães Renner explica que os tratamentos estéticos são indicados para pacientes que possuem diastemas (espaços entre os dentes), dentes com muitos desgastes ao longo da vida, com fraturas ou traumas, alterações de cor ou simplesmente para pequenas correções que estejam incomodando o paciente.

Ela conta que as lentes de contato são estruturas ultrafinas, que possuem em média 0,3 a 0,5 mm de espessura e são denominadas de facetas cerâmicas odontológicas. Elas servem para dar um novo formato aos dentes e ao sorriso, sendo considerado um tratamento estético, corrigindo o tamanho, forma e estrutura de múltiplos dentes, além de reparar defeitos de coloração.

“Esses tratamentos melhoram a autoestima e a função, proporcionando uma harmonia do sorriso e preservando a estrutura natural dos dentes, já que é considerado um procedimento minimamente invasivo”, conta a especialista.

Viviane destaca que os dentes desempenham diversas funções para um bom funcionamento do corpo inteiro, como a fala, mastigação, respiração e até mesmo a estética do rosto. “Quando um ou mais dentes são perdidos as próteses de dentárias são uma boa indicação para manter tudo funcionando bem. Existem vários tipos de próteses e cada uma é indicada de acordo com a realidade de cada paciente individualizada”, destaca.

 

Os tipos são:

- porcelana pura (metal free)

- metalocerâmica

- aparelhos removíveis cromo-cobalto

- Protese total em acrílico

- Protese sobre implantes (raiz artificial de titânio)

A profissional destaca que os procedimentos são indolores para dentes tratados endodonticamente e dentes com vitalidade pulpar realiza-se anestesia para evitar sensibilidade durante o tratamento. “O poder de um sorriso refleti o sentimento de satisfação consigo mesmo, sendo o que de mais bonito que podemos oferecer aos outros”, conclui.

Endodontia

A cirurgiã-dentista especialista em endodontia – tratamento de canal, Michele Guimarães diz que o tratamento de canal consiste na remoção/extirpação da porção vital do dente, a polpa dentária. “Tal tratamento visa a limpeza total dos canais dentários com a sua vedação, com o intuito de obliteração da raiz. Esses procedimentos são provenientes de extensas cáries dentárias, além de alguns fatores externos, tais como traumas dentários, lesões apicais e fraturas, onde bactérias atingem a polpa dentária ocasionando necrose  ou dor aguda”, explica.

Michele ressalta que existe a necropulpectomia, na qual o paciente, muitas vezes, não manifesta sensibilidade e pode causar abscessos dentários internos ou externos. “Em alguns casos não se percebe essa necrose e o dentista visualiza o escurecimento do dente ou também o aparecimento de fístulas intra ou extraorais. Alguns testes são realizados, e o principal é o de vitalidade pulpar, caso a resposta seja negativa o paciente deve realizar o tratamento para remoção de bactérias purulentas no interior das suas raízes, uma vez que podem se transformar em infecções mais graves e se estenderem para outros locais”, relata.

Também temos a biopulpectomia, proveniente de cáries ou fraturas dentais extensas, que atingem a porção viva do dente, explica a especialista. “Essa é a mais dolorosa, onde a maioria dos paciente se queixam de fortes dores. Para a realização desse tratamento o dentista deve anestesiá-lo, principalmente em biopulpectomias, onde a dor é aguda”, complementa Michele.

Atualmente, a endodontia evoluiu muito, e alguns tratamentos de canal que demoravam algum tempo para serem finalizados, podem ser feitos até em sessão única, dependendo da indicação de cada caso, informa a cirurgiã-dentista. “Existem métodos mais modernos, rápidos e eficazes os  “rotatórios”, os quais dão total conforto ao paciente desmistificando aquela tão temida história de tortura e dor da endodontia”, enaltece.

A especialista salienta que sempre que se observar algo diferente na dentição ou algum tipo de dor e sensibilidade na ingestão de alimentos quentes e frios, marcar hora no dentista é a melhor proposta, pois poderá se evitar o futuro tratamento de canal.

“Importante salientar que as cáries são provenientes basicamente da deficiência na higiene oral que inclui a má escovação e a falta do uso do fio dental. As bactérias se alojam no esmalte dentário e juntamente à placa, ou seja, alimentos depositados na superfície do dente, começam a produção de ácidos que desmineralizam a estrutura dentária formando uma cavidade. Se esse processo for interrompido por um dentista no início do estágio, o dente poderá estar a salvo, caso contrário a lesão cariosa se estende até atingir a porção vital do dente, sendo dolorosa ou silenciosa”, acrescenta.

Alguns pacientes possuem a necessidade de cirurgias paraendôdonticas, para a remoção de cistos/lesões apicais que não são eliminados apenas com o tratamento endodôntico. O paciente é submetido ao tratamento de canal, e consequentemente a uma curetagem da ponta da raiz, enumera a profissional.  “Todo cuidado é imprescindível para nossa saúde oral. A saúde começa pela boca”, esclarece.

Aparelhos dentários

A cirurgiã-dentista, especialista em Ortodontia Cecília Guimarães conta que o tratamento de colocação de aparelhos dentários é indicado para corrigir desajustes dentários, além de prevenir problemas de oclusão, que é o ato de abrir e fechar a boca quando os maxilares estão de alguma forma prejudicados.

“O uso desses aparelhos pode trazer não só benefícios funcionais, mas um ganho estético enorme”, acrescenta a profissional.

Cecília destaca que ter dentes perfeitos é muito mais importante do que as pessoas possam imaginar, além da questão estética, a saúde pode ser comprometida pela falta do uso do aparelho. “O uso pode ser feito em várias faixas etárias, apensar de não existir idade mínima para realizar a primeira consulta ortodôntica, a época mais oportuna é no começo da troca dos dentes de leite pelos dentes permanentes, ou seja, no ínicio da dentição mista”, ressalta.

Ela destaca que cerca de 70% das pessoas que procuram o ortodontista para colocar o aparelho são adultos, mas depende muito da saúde bucal de cada um.

A especialista conta que o tempo de tratamento varia em cada caso. “Temos que planejar e aguardar a resposta orgânica de cada paciente”, acrescenta.

A ortodontia surgiu na Grécia antiga, Hipócrates e Aristóteles já discutiam como corrigir os dentes tortos. A ortodontia moderna só veio a ser incrementada em 1819, quando o doutor Gaston Delabarre inventou o fio metálico que é fixado entre os dentes, entretanto, o que popularizou o aparelho dentário foi a adoção pelos dentistas do aço inoxidável para a fabricação de fios, bandas e bráquetes, o que ocorreu a partir de 1950.

Cecília diz que existem vários tipos de aparelhos, dentre eles os fixos e os removíveis. “O tipo ideal para correção dos dentes depende de uma avaliação criteriosa do profissional”, explica.

Os removíveis são mais indicados para pequenos movimentos dentários e em pacientes em fase de crescimento, informa a profissional. “Os fixo são compostos de bráquetes colocados aos dentes, estão mais indicados para pacientes onde se necessita uma movimentação maior dos dentes, impedindo inclinações indesejáveis”, conclui.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...