ANO: 24 | Nº: 6014
08/02/2018 Cidade

Candiota liderou geração de empregos na região em 2017

Foto: Divulgação

Obra da UTE Pampa Sul estimulou criação de postos formais
Obra da UTE Pampa Sul estimulou criação de postos formais

O município de Candiota fechou 2017 com crescimento na geração de empregos formais. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), vinculado ao Ministério do Trabalho, no ano passado, a Capital do Carvão admitiu 1.644 trabalhadores, registrando 1.310 demissões. Com um saldo positivo de 334, a cidade mantém 2.047 vagas em 402 estabelecimentos.
De acordo com o coordenador da agência FGTAS/ Sine de Candiota, Maicon Vinícius Borges, em 2017 o município movimentou 2,6 mil empregos somente na construção da Usina Termelétrica (UTE) Pampa Sul, em Seival, que deve ser concluída em 2018. Porém, houve um crescimento de empresas no município, em virtude da isenção de alguns impostos oferecidos pela prefeitura.
Segundo Borges, a empresa que se instala no município tem que empregar 50% de mão de obra local (Candiota e região). Pelo menos 10% das vagas devem ser destinadas às mulheres. Cumprindo as determinações, o empreendedor recebe desconto no Imposto Sobre Serviço (ISS), passando a pagar 1%, em detrimento dos 3% cobrados anteriormente. “As principais vagas foram para as áreas de metalmecânica e construção civil”, relata.
Hulha Negra e Aceguá também tiveram variações positivas, em 2017, segundo o Caged. Em Hulha Negra, cidade que conta com 198 estabelecimentos, ofertando 1.854 empregos formais, foram registradas 383 admissões e 365 desligamentos. A variação do município foi positiva em 18 vagas. Já Aceguá teve a admissão de 277 trabalhadores e contou com 249 desligamentos. Em um total de 664 empregos formais em 318 estabelecimentos, o município teve variação positiva de 23 vagas.
Em novembro, Bagé estabeleceu 133 novas vagas, conforme os dados do Caged apresentados no dia 28 de dezembro, pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDI). Pelo estudo, até o primeiro dia do ano passado, Bagé contava com 17.722 empregos formais, distribuídos em 5.665 estabelecimentos. No último balanço parcial, publicado pelo Jornal MINUANO, no dia 30 de dezembro, o volume registrado era de 17.855 empregos. Em dezembro, no fechamento do ano, a variação foi negativa em uma vaga. Os dados do cadastro apontam que 5.773 pessoas foram admitidas e o município contou com 5.774 desligamentos.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...