ANO: 23 | Nº: 5865
10/02/2018 Editorial

Folia consciente e na medida

E chegou a época que, para uma parcela considerável dos brasileiros, é a mais aguardada. O Carnaval, que inicia neste sábado, assinala uma das principais características do povo tupiniquim, inclusive servindo como uma caricatura do País aos estrangeiros.

Elemento da cultura nacional, a folia, que passou a ser celebrada ainda no período colonial, apesar do que alguns pensam, não é uma festa com origem brasileira. Pelo contrário, a história a aponta como uma comemoração datada da antiguidade, já assinalada em berços da civilização como na Grécia, entre outros povos.

De qualquer maneira, na atualidade, o Carnaval virou a festa do Brasil. E a simples movimentação gerada na economia demonstra a sua representatividade. Realizada em meio ao período de férias, a folia permite a mobilização de verdadeiras multidões, que viajam, festejam e consomem. Isso tudo atrelado a um sentimento de liberdade – por que não? –, certa euforia e, em alguns casos, ostentação.

É certo que não existe uma hegemonia, muitos preferem se isolar nesta época. Se isolar e, simplesmente, descansar. O que é válido, até porque a folia existe para possibilitar a realização de inúmeras aspirações, sejam elas quais forem.

O fato é que o espírito do Carnaval exige alguns cuidados, por assim dizer. Não é porque o momento é de festa que o jargão “tudo pode” se torna uma legislação vigente. Nada disso! As regras são as mesmas de sempre e, portanto, demandam atenção aos mais entusiasmados.

A campanha “Não é Não”, que vem ganhando cada vez mais espaço em âmbito nacional, é um exemplo que debates referentes à folia aos quais todos devem estar atentos. A iniciativa visa impedir que, em meus aos festejos, abusos – em especial os de cunho sexual – ocorram. O que é mais que pertinente, até porque esse tipo de comportamento não pode ser aceito seja onde e quando for.

Neste contexto, onde o excesso deve ser um cuidado, também se englobam outros pontos. A ingestão de bebidas alcoólicas, que naturalmente tem o acréscimo, não deve ser exacerbada, senão o festejo passa a ter grandes chances de se tornar uma tragédia. Enfim, a folia é para ser celebrada, mas de forma consciente e na medida.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...