ANO: 24 | Nº: 6058
14/02/2018 Cidade

Estudantes aguardam definição de nova escola após suspensão das aulas em São Sebastião

Foto: Divulgação

Moradores esperam decisão de representantes do Estado e dos municípios limítrofes
Moradores esperam decisão de representantes do Estado e dos municípios limítrofes

Alunos que cursariam o Ensino Médio na Escola Estadual Risoleta de Quadros ainda aguardam definições sobre transporte para iniciar o ano letivo. A 13ª Coordenadoria Regional de Educação (13ª CRE) busca a regularização da instituição junto ao Conselho Estadual de Educação desde dezembro do ano passado.
O Ensino Médio era oferecido através de uma extensão da Escola Estadual Nossa Senhora do Patrocínio, que iniciou em 2003. Entre 2008 e 2009, a extensão começou a ser suspensa, de forma gradativa. Quatro anos depois, a coordenadoria retomou a extensão, que funcionou normalmente até o ano passado. Mas, no final de 2017, a comunidade escolar foi informada do encerramento das atividades, para que a escola busque a regularização junto ao Conselho Estadual de Educação. 
Com o encerramento, 30 estudantes ficaram sem a certeza de que retomariam os estudos do Ensino Médio, em 2018. A diretora da instituição, Neusa Biaggi, explica que todos os 30 estudantes foram matriculados na Escola Nossa Senhora do Patrocínio, em Dom Pedrito. Entretanto, para chegar até a nova instituição, os estudantes devem percorrer mais de 100 quilômetros. O impasse fica por conta de como serão transportados até lá. “O coordenador está vendo a questão. Inclusive são várias possibilidades”, destaca.
A mãe de um estudante de 15 anos, que iniciaria o primeiro ano do Ensino Médio em 2018, Cláudia Salines Rodrigues, conta a história pelo lado de quem teme ter de embarcar o filho diariamente em uma viagem de 110 quilômetros em busca de educação. Ela relata que, junto aos pais e responsáveis dos outros estudantes, ingressou no Ministério Público para garantir transporte aos estudantes.
O que ocorre, segundo ela, é que a escola onde os estudantes foram matriculados está há mais de 100 quilômetros da vila. Uma alternativa mais próxima seria o Instituto Estadual de Educação Doutor Bulcão, em Lavras do Sul, há cerca de 46 quilômetros. Neste caso, há um impasse sobre qual município deveria oferecer o transporte, Lavras ou Dom Pedrito. Nas duas situações, as prefeituras alegam que não é possível realizar o transporte de estudantes fora dos limites dos municípios.
Para a mãe do estudante, uma alternativa se destaca. “A única solução cabível seria o Estado dar as passagens para esses alunos. Estamos no meio dos municípios de Bagé e Lavras, pertencemos a Dom Pedrito, sendo que por meios legais nenhum transporte pode ultrapassar o limite”, diz.
Cláudia aguarda a resolução, já que as aulas da rede estadual iniciam no dia 22 de fevereiro. “Até dia 19 ou 20 teremos uma resposta. Haverá reunião, em Dom Pedrito, para definir”, adianta.
O responsável pela 13ª CRE, José Carlos Nobre, destaca que a coordenadoria ainda está em busca da regularização da situação da escola de São Sebastião junto ao Conselho de Educação. Por se tratar de trâmites burocráticos, não há definição de prazo para a retomada das aulas. 
Enquanto isso, a coordenadoria garante vagas para os estudantes em qualquer uma das instituições estaduais escolhidas. “A questão do transporte, que é uma responsabilidade das prefeituras, precisa ser definida para que possamos efetuar as matrículas. Mas as vagas estarão disponíveis onde eles escolherem”, conta.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...