ANO: 25 | Nº: 6259
16/02/2018 Editorial

Superação da violência


Talvez em nenhum momento da história brasileira recente o tema escolhido para a Campanha da Fraternidade, agora de 2018, que é "Superação da Violência", tenha sido tão acertado, tenha ido tão ao encontro de uma realidade que, infelizmente, cidadãos têm de enfrentar de maneira rotineira.
O Brasil tem vivido um cenário onde a ordem, palavra estampada na bandeira da Nação, parece ter perdido total valor. Resume-se a um apanhado de letras unidas, entrelaçadas e que, apesar da formação originar um texto, não importam. Sinaliza que seu significado está, ao que parece, desapercebido.
A definição de tal tema por parte da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) demonstra que a preocupação com assunto adentrou no berço da própria igreja. E esse é apenas mais um sinal de que a busca por soluções são urgentes.
O Carnaval brasileiro, através de escolas de samba desfilando pelos sambódromos, também sinalizou o mesmo problema. Lógico que o foco principal, nesse caso, foi a corrupção, os meandros políticos e outros setores tão constantes nos noticiários do País, mas a violência teve sua representação. E de maneira tão forte, como foi quando um carro alegórico, encenando uma sala de aula, mostrava estudantes e professores temerosos com tiros que atingiam um espaço criado unicamente para que conhecimentos fossem transmitidos.
É óbvio mencionar que apresentar, aqui, um roteiro definitivo para estancar a sangria seria pretensão demais. Até porque, para superar a violência, é preciso muito mais que policiais combatendo o crime, é necessário aprimorar leis ao mesmo tempo em que se possa fazê-las serem cumpridas. E mais, é necessária uma união de esforços em tal proporção que todos os elos integrantes estejam firmes rumo a um mesmo propósito: a busca da paz.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...