ANO: 25 | Nº: 6258
01/03/2018 Fogo cruzado

Após pedido de Bagé, União define agenda para tratar de demandas das regiões afetadas pela estiagem

Foto: Renan Arais/EspecialJM

Articulação envolveu deputado federal Afonso Hamm, senadora Ana Amélia Lemos e prefeito Divaldo Lara
Articulação envolveu deputado federal Afonso Hamm, senadora Ana Amélia Lemos e prefeito Divaldo Lara

A senadora gaúcha Ana Amélia Lemos (Progressistas) recebeu, na noite de terça-feira, a confirmação da realização de uma audiência na Casa Civil do governo federal, no próximo dia 21, às 17h, para apresentar as demandas dos municípios afetados pela estiagem nas regiões da Campanha, Zona Sul e Carbonífera. A reunião havia sido solicitada pela parlamentar, pelo deputado federal Afonso Hamm (Progressistas) e pelo prefeito de Bagé, Divaldo Lara (PTB).

Segundo informado pela assessoria da senadora, além dos parlamentares, prefeitos e lideranças das regiões prejudicadas pela seca serão recebidos pelo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. Também deverá ser confirmada, em breve, reunião no Ministério da Integração, nessa mesma data. Os encontros servirão para agilizar a homologação dos decretos de emergência e a destinação de auxílios para as regiões, que já calculam prejuízos estimados em R$ 1 bilhão.

Na tribuna do Senado, também na terça-feira, Ana Amélia voltou a falar sobre a seca. Ela manifestou preocupação com as perdas nas lavouras, com a falta de água para a população e com as consequências prejudiciais à economia de mais de 30 municípios. A parlamentar renovou seu apoio às demandas dos prefeitos e das localidades atingidas.

Em nota de sua assessoria, o prefeito de Bagé, Divaldo Lara, frisou que, desde que assumiu a gestão, no início de 2017, o trabalho pelo andamento da obra da barragem da Arvorezinha, considerada a principal solução para as secas que ocorrem no município, estão em andamento. "Por termos retomado os trabalhos pela construção da nossa barragem, desde janeiro do ano passado, é que hoje nos encontramos em andamento com a segunda e terceira fase do processo, que são a revisão do projeto executivo e o plano básico ambiental. Após a conclusão destas fases, poderemos licitar para dar início aos trabalhos de execução da obra", avaliou.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...