ANO: 25 | Nº: 6439
07/03/2018 Cidade

Cesa busca renovação de parcerias

Foto: Tiago Rolim de Moura

Locação da unidade pode evitar licitação para venda de todo o complexo
Locação da unidade pode evitar licitação para venda de todo o complexo

Os próximos 30 dias serão decisivos para a unidade de Bagé da Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa). Após o anúncio de venda judicial da estrutura, por falta de interessados no leilão do complexo, um novo valor deve ser definido pela justiça, com um novo percentual de cálculo.

Diretor técnico da companhia, Lúcio do Prado explica que, neste momento, a unidade está em tratativas para renovar o contrato de locação de espaço com as empresas de Bagé que já estavam utilizando o armazenamento. “Uma das empresas já está certa. Caso não consigamos a outra, vamos licitar o espaço”, adianta ele.

A previsão é de que, nos próximos 30 dias, seja publicado o novo edital de venda da unidade, desta vez com valor mais acessível, definido pela justiça após nova avaliação. “Licitar a unidade toda com o valor que a justiça determinar”, sentencia.

A venda do complexo deve quitar passivos trabalhistas. Perante um valor total superior aos R$ 200 milhões, o acordo trabalhista foi negociado em R$ 117 milhões, para serem pagos em 72 parcelas. Enquanto não for comercializada, a unidade, com capacidade de armazenamento de 20 mil toneladas, segue operando através das empresas com contrato de reserva de espaço.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...