ANO: 26 | Nº: 6540
08/03/2018 Esportes

Segundo Tempo Paradesporto em Bagé deve ser formalizado neste mês

Foto: Tiago Rolim de Moura

Complexo do Militão deve sediar núcleo do programa
Complexo do Militão deve sediar núcleo do programa

A assinatura do convênio com o Ministério do Esporte prevendo a instalação do Programa Segundo Tempo Paradesporto em Bagé deve acontecer ainda este mês. Inédita na Rainha da Fronteira, a iniciativa teve seu projeto apresentado pela Secretaria de Gestão, Planejamento e Captação de Recursos (Geplan) e, quando em funcionamento, será desenvolvida pela Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), em um núcleo, no Ginásio Presidente Médici (Militão). O objetivo será atender, prioritariamente, pessoas com deficiência, proporcionando a prática de atividades físicas, culturais e de lazer através do estímulo à prática de esportes adaptados.
O programa, conforme a Prefeitura de Bagé, deve ter um núcleo, onde atenderá 60 pessoas, desenvolvendo atividades coletivas como futebol para deficientes físicos e paralisia cerebral, vôlei sentado para amputados e badminton para deficientes auditivos. Já as práticas individuais consistirão em bocha, atletismo, tênis de mesa, xadrez e dama.
A presidente da Associação Bajeense de Pessoas com Deficiência e Familiares (Abadef) e coordenadora do setor de Atenção à Pessoa com Deficiência da Secretaria de Saúde, Cimone Gonzales Halberstadt, destaca que esta é a oportunidade de mostrar a capacidade de pessoas em condições limitadas, "A prática esportiva é o empoderamento e a chance do portador de deficiência ser porta-voz dele mesmo e mostrar que é possível superar as dificuldades e vencer seus limites", declara.
Segundo o prefeito, Divaldo Lara, o programa consolida o esforço da comunidade na inclusão de portadores de necessidades especiais. "Esta conquista é o primeiro passo para que nossa cidade se torne um centro paradesportivo, propiciando atividades a um setor da comunidade que demanda a solidariedade de todos. Somos multiplicadores e transformadores de nossa realidade local", argumenta.
O titular da Geplan, Eduardo Deibler, frisa que o governo municipal tem buscado, junto aos ministérios, a apresentação de projetos que beneficiem a comunidade". Já o responsável pela Sejel, João Schardosim, ressalta que Bagé já possui um histórico de atletas paraolímpicos. “Desde de 2003, a cidade possui representatividade nas disputas paraolímpicas. Nossa meta é ampliar as atividades e desenvolver a aptidão de cada assistido. É importante ressaltar, também, que o programa não é para desenvolver esporte de alto rendimento, e sim atividades lúdicas, de socialização, promoção da autoestima e pela própria prática esportiva para a superação de limites”, afirma.

Na cidade
Outra novidade é que a habilitação para conveniar o programa Esporte e Lazer na Cidade, em quatro núcleos, foi publicada no Diário Oficial da União de terça-feira. A proposta de mais de R$ 1 milhão, cadastrada no ano passado, apresentou a colocação de 56º lugar no Estado, atendendo os critérios exigidos. Diferente do paradesporto, o programa é voltado para a prática de atividades físicas, culturais e de lazer que envolve todas as faixas etárias.
O coordenador de Captação de Recursos, Márcio Pestana, informa que o município conquistou habilitação para mais dois programas. "Além do programa Esporte e Lazer, conquistamos a habilitação para mais dois programas, o Segundo Tempo Padrão e o Paradesporto, esse já em fase de assinatura do convênio" comenta.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...