ANO: 25 | Nº: 6335

Viviane Becker

viviminuano@hotmail.com
Colunista social do Jornal Minuano, Viviane Becker é experiente jornalista de geral e conhecida editora do caderno de variedades Ellas.
09/03/2018 Caderno Ellas

VIVA AS DIFERENÇAS...

Foto: Reprodução JM

Desde que me lembro, trabalho com moda e diretamente com um exército de mulheres e suas contradições. Não sei se por sorte ou azar, nasci uma delas, então muitos fatos que para um homem pareceriam inaceitáveis, para mim são contornáveis e até compreensíveis.

Já tive todo tipo de pedidos nestes anos como estilista, dos mais simples aos mais bizarros, como somos mulheres, todas vindas da costela de Adão, no final nos entendemos e dá tudo certo...

Dia 8 de março é o nosso dia INTERNACIONAL DA MULHER, dia das surtadas porque o vestido esta marcando até a alma; das felizes porque emagreceram 800 gramas; das intelectuais, que não se importam com roupas; das inteligentes, que usam a moda a seu favor; daquelas que precisam ainda se apoiar na beleza e na última tendência; das gostosas de plantão, sempre naquele modelito que parece que nasceu no corpo; das compulsivas, que compram e compram e nunca estão satisfeitas; das esportistas, que vão para o supermercado de legging, buscar o filho no colégio de legging, vão jantar fora de legging...; dia das criativas, que apesar de não ter tanto dinheiro, criam sua moda e fazem estilo mundo afora; das combinantes, que adoram um conjuntinho; das bicho-grilo, que não dispensam um chinelinho havaianas e uma sainha indiana; das seguidoras de blog, que fazem do ato de se vestir quase uma religião; das vaidosas, que se vestem para os outros; das egocêntricas, que sempre precisam ser as mais bem vestidas da festa; das detalhistas, que não colocam o pé na porta antes de estar tudo 100% na produção; das deleitadas, que não estão nem aí...; das preguiçosas, que usam sempre a mesma cor para não ter que combinar nem pensar muito; das exageradas, que saem de roupa de festa de manhã; das inadequadas, aquelas que sempre erram o modelito; das gordinhas, que insistem em entrar em um número duas vezes menor que o real; das medrosas, que só usam jeans com medo de errar, e por aí vai. Poderia ficar aqui por dois dias criando perfis para cada tipo de mulher e suas relações com a moda e o ato de sevestir.

Identificou-se? Pois é, somos nós, somos assim, incongruentes, despropositadas, por vezes, e com muitas particularidades. Muitas de nossas vitórias vêm da autoconfiança que a roupa nos traz, nas ocasiões mais especiais da nossa vida a roupa tem um importante papel, elas ficaram em nossa lembrança para sempre, porque não vivemos sem a moda e a moda não vive sem nós. Cada uma com seu estilo, ninguém está 100% certa nem 100% errada, somos um somatório de vivências, que nos definem, e a maneira como nos vestimos nos revela, moda é só uma conseqüência de tudo isto, só existe e só sobrevivem por nós, mulheres!

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...