ANO: 24 | Nº: 6103

José Carlos Teixeira Giorgis

jgiorgis@terra.com.br
Desembargador aposentado e escritor
10/03/2018 José Carlos Teixeira Giorgis (Opinião)

Os jornais esportivos de outrora

Como sabido, o primeiro jornal foi o Aurora de Bagé, criado por Isidoro de Paulo Oliveira, em 10 de setembro de 1861. A crônica pretende prospectar a arqueologia dos periódicos esportivos do passado.

O Guarani é o primeiro jornal esportivo, embora também literário e crítico. Apareceu em 9 de fevereiro de 1913 e pertencia à empresa Goudene & Gonçalves (Adolfo A. Gonçalves), sediada na rua Sete de Setembro, nº 106 (antiga rua do Portão), esquina Dr. Veríssimo. Semanário, saia aos domingos. Era órgão do Guarany Futebol Clube. Consta que circulou até 1922.

O Esporte foi fundado por Adolfo A. Gonçalves, em 12 de janeiro de 1917, e além de esportivo era noticioso e literário. Secretário de redação: Otávio dos Santos. Entre os colaboradores Romeu Borba. Ficava também na rua Sete, esquina Dr. Veríssimo. Saía a cada 10 dias. Desapareceu no mesmo ano de sua fundação.

Em 1º de abril de 1921 surge O Palmeira, órgão do Esporte Clube e Grêmio Palmeira, entidade futebolística popular na época, ainda literário, noticioso e recreativo. Dirigido por Delfino Menezes, pertencia à firma Brasil e & Cia Ltda, sendo redator Pedro Pimentel e secretário João Monteiro. Com sucursais em Dom Pedrito, Santana do Livramento e Júlio de Castilhos. Quinzenário. Ficava na rua Dr. Pena, nº 160, mudando para Almirante Gonçalves, nº 112. Impresso na Tipografia Minerva. Com interrupções, desapareceu em 1949.

Bagé Esportivo surgiu em 16 de abril de 1932 e pertencia a Severo & Lucas. Cuidava  principalmente do futebol. O redator era Uaraci Farias. Semanário, sede na Marcilio Dias, nº 159, onde era impresso. Vida efêmera.

O Escrínio, também literário e recreativo, foi criado por Fernando Coutinho, em 5 de junho de 1932, sendo redator “Príncipe Silencioso” e gerente “Princesa das Selvas”, possivelmente pseudônimo de Ruth Machado. Quinzenário, com redação à rua Barão do Triunfo, nº 151 (antiga Tiradentes) faleceu precocemente. Em 1898, houve outro jornal com o mesmo nome sob a direção da célebre Andradina de Oliveira (Porto Alegre 1878-1935), contista, teatróloga, conferencista, biógrafa e líder feminista de importante obra literária.

O Esporte, fundado por Álvaro Paiva Neto, em 23 de março de 1936, também periódico social. Saia nas segundas-feiras, editado pela Tipografia O Rosicler. De breve circulação.

O Desportista, periódico fundado por Mário Nogueira Lopes, Carlos Stechmann e Elmo Teixeira em 27 de julho de 1942. Além do futebol, que dominava, abrangia outros esportes. Circulava nas segundas-feiras. Não se sabe a data de seu perecimento.

Folha Esportiva, criada em 2 de dezembro de 1946, por Mário Nogueira Lopes. Distribuído nas segundas-feiras, em geral quando multidão se juntava na esquina da Praça Silveira Martins para ouvir os comentários da Voz de Bagé sobre o jogo de domingo. Deixou de circular em 1950, substituído pela Revista Esportiva, também de Mário Nogueira Lopes, em setembro daquele ano, e publicação mensal, com diversos colaboradores, editada pelos Estabelecimentos Reunidos Lopes, na rua General Osório, nº 732. Chegou a ter 16 páginas. Também sem ciência de seu desaparecimento. O Guarani,  criado em abril de 1952, por Mário Nogueira Lopes, por ocasião do 45º aniversário do Guarany FC. Entre os colaboradores Darcy Azambuja. Circulação mensal, impresso nos Estabelecimentos Lopes. Não se localizou ao último número.

Fontes: 1. Memória Histórica da Imprensa de Bagé (1861-1977), obra inédita de Gabriel Pereira Borges Fortes, Fernando Marcos Ronna e João Batista Marçal; 2.O Jornalismo em Bagé, artigo de Octávio Hipólito, Anais de Bajé, Gráfica Santa Maria, 1963; 3. Mário Nogueira Lopes, Fatos e personalidades, Ed. Praça da Matriz, 2007.

Muitos destes exemplares estão no Museu Dom Diogo de Sousa (Coleção Othon Figueiró e outras doações).

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...