ANO: 24 | Nº: 6104
12/03/2018 Cidade

Unidade de Bagé adere à greve nacional dos Correios

Foto: Tiago Rolim de Moura

Sindicato aponta que há deficit de dez funcionários para atender demanda no município
Sindicato aponta que há deficit de dez funcionários para atender demanda no município

Desde às 22h de ontem, os funcionários dos Correios estão paralisados em todo o País, incluindo a agência de Bagé. A greve, por tempo indeterminado, luta contra a privatização da empresa, por melhores condições de trabalho e pela manutenção do plano de saúde.

O diretor da subsede de Pelotas do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do Rio Grande do Sul (Sintect-RS), Henrique Andrade Torales, que abrange a unidade de Bagé, explica que a paralisação inicia no mesmo dia em que o Tribunal Superior do Trabalho (TST) começa a julgar as modificações no plano de saúde. A intenção da empresa é aumentar a cobrança mensal do plano de saúde de 7% a 25% e conforme a idade do servidor, além da retirada de pai e mãe como dependentes nos planos.

A greve também servirá para protestar contra as alterações no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), a terceirização na área de tratamento, a privatização da empresa, suspensão das férias dos trabalhadores, extinção do diferencial de mercado e a redução do salário da área administrativa, além do fechamento das agências sombreadas.

A categoria defende, ainda, a contratação de novos funcionários via concurso público e o fim dos planos de demissão. Segundo Torales, há um deficit de 14 mil servidores dos Correios no País. Em Bagé, segundo ele, é necessária a contratação de mais 10 trabalhadores para atender a demanda das zonas em aberto.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...