ANO: 25 | Nº: 6403
17/03/2018 Cidade

Escola Justino Quintana é inaugurada sob protestos e com promessas

Foto: Tiago Rolim de Moura

Branco está cumprindo agenda na região
Branco está cumprindo agenda na região

Uma solenidade no saguão da Escola Estadual de Educação Básica Professor Justino Costa Quintana marcou a assinatura do termo definitivo de entrega da obra que iniciou em 2015, com a realização do projeto. O ato contou com a presença do chefe da Casa Civil do Rio Grande do Sul, Fabio Branco, autoridades municipais, estaduais, equipe diretiva e alunos. A instituição havia sido interditada em 2013 e, somente em 2017, as aulas foram retomadas, após as reformas. Durante a inauguração oficial, ontem, alunos protestaram pela falta de verbas para a manutenção da estrutura.

A diretora da escola, Sônia Barbosa, agradeceu a equipe diretiva e afirmou que não se agradece investimentos em Educação, visto que, segundo ela, é uma obrigação do Estado. Sônia ressaltou que a obra na escola foi uma conquista da população.

Preocupação

A diretora também destacou a preocupação da equipe diretiva para manter toda a infraestrutura. Ela disse que são 1.431 alunos e a verba disponibilizada pelo Estado é para 900. Além disso, salientou que os professores e alunos estão enfrentando o calor, porque a escola não tem verbas para colocação de cortinas e ar condicionado ou ventiladores nas salas. “São questões que precisam ser finalizadas”, enfatizou.

O coordenador regional de Educação, José Carlos Nobre, salientou que a escola precisa de colaboradores e parcerias e que o prédio é da população. Já o secretário adjunto de Obras, Sandro Oliveira, afirmou que o Estado não tem condições de manter tudo e todos, mas se comprometeu em intervir na situação do valor das merendas e se colocou à disposição para buscar parcerias.

Branco apresentou um levantamento das obras em andamento na área de educação e disse que a vinda a Bagé e região serviu para formalizar a entrega do prédio, além de agilizar  as tratativas com o prefeito, Divaldo Lara, para a cidade cenográfica vila de Santa Fé e o Centro Histórico Vila de Santa Thereza.

Obra

De acordo com o diretor da empresa Sistema Engenharia, Emílio Mansur, responsável pelo empreendimento, foram realizadas intervenções em 15 mil metros quadrados, sendo 2,6 mil metros quadrados de obras novas e seis mil metros quadrados de reformas em salas de aula; redes elétrica, hidráulica e de esgoto; teatro; estacionamento; quadras poliesportivas; além de elevador para a acessibilidade dos alunos.
A obra custou em torno de R$ 7,6 milhões e o empreendedor ainda não recebeu todo o valor por parte da união. “Falta a última parcela, de cerca de R$ 300 mil, mais os reajustes”, disse.

Ar condicionado

No seu pronunciamento, o prefeito Divaldo Lara lembrou que foi um dos que auxiliou na luta pela reforma da Escola e agradeceu a equipe diretiva pelo trabalho realizado. Aliás, perante a solicitação da diretora, se comprometeu em doar os aparelhos de ar condicionado para a instituição, colocando o município à disposição do Estado para as tratativas.
A diretora da escola salientou que são necessários em torno de 40 equipamentos.

Posse
Além da inauguração, foi empossado o novo coordenador regional de Obras Públicas, o arquiteto César Ricardo Freitas de Vasconcelos.



Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...