ANO: 25 | Nº: 6330

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
19/03/2018 Caderno Minuano Saúde

Vamos cuidar dos rins?

Foto: Divulgação

Página 2 ou 3
Página 2 ou 3

O dia Mundial do Rim, que foi comemorado no dia 9 de março, é uma forma de fazer um chamado especial às questões da Doença Renal, considerada hoje um problema de saúde pública.

A falta de cuidados preventivos e do tratamento das doenças associadas (a exemplo do diabetes e da pressão alta) leva o paciente a ter que fazer o uso de uma terapia renal substitutiva, hemodiálise, diálise peritoneal domiciliar ou transplante renal.

Essa perda da função renal passa despercebida, quase silenciosa, até enquanto os rins estão com 20% de sua capacidade de função, quando então aparecem os sintomas, como consequências do acúmulo de toxinas no corpo: náuseas, vômitos, perda de apetite, urina clara (tipo água), inchaço no corpo, anemia. Esse fato reforça ainda mais a necessidade dos cuidados preventivos e educativos precocemente.

Nesta edição, o médico nefrologista Manif Curi Jorge e a nutricionista Ana Paula Pereira irão falar sobre os cuidados, prevenção e tratamentos das doenças renais.

 

Cuidando de um órgão importante

O médico Manif Curi Jorge destaca que a dieta é muito importante no tratamento de doenças renais, pois ajuda a evitar aumento das substâncias tóxicas, fazendo com que melhore assim sua qualidade de vida, tanto no tratamento conservador (pré-diálise), quanto durante o tratamento. “Após o diagnóstico da doença renal, o paciente deve controlar o consumo de proteínas, sódio, e dependendo potássio, fósforo (de acordo com seus exames), aumentar o consumo de água. Já durante o tratamento dialítico, o consumo de proteínas se normaliza, e devemos prestar mais atenção no consumo de líquidos, potássio, fósforo, cálcio”, explica.

A dosagem de creatinina no sangue durante suas revisões laboratoriais, uma boa hidratação, alimentação equilibrada e saudável, exercícios regulares e tratamento cuidadoso das doenças associadas em especial da diabetes, hipertensão e cardiopatias são meios de prevenção da Doença Renal Crônica (DRC), informou o especialista.

“Nesse momento a região tem 100 pacientes no tratamento de hemodiálise e 14 pacientes em diálise peritoneal domiciliar. Ressalta-se também a bela estatística que estamos tendo de transplantes renais. Nesse último ano 12 pacientes transplantados, o que muito orgulha toda a equipe”, complementa o médico.

Manif Curi Jorge acrescenta que ao longo destes 34 anos de funcionamento do serviço de Hemodiálise em Bagé, a equipe toda, hoje composta por 26 profissionais, tem colocado sempre a ‘qualidade’ do serviço e o bem-estar dos pacientes como ponto central do atendimento.

 

Função renal

A principal função do rim é eliminar através da urina, as sobras e excessos da alimentação que não foram utilizados pelo nosso organismo. É assim que os rins mantêm o equilíbrio do corpo.

Na insuficiência Renal Crônica os rins vão perdendo sua função e as sobras e excessos da alimentação vão se acumulando no sangue. Os mais importantes são a uréia (resto de proteínas), o sódio, o potássio, o fósforo, os líquidos e outras substâncias. Quando essas substâncias estão aumentadas no sangue você pode sentir náuseas, falta de apetite, indisposição, pressão alta, vômitos, coceira em todo o corpo, dores, insônia, inchaço nas pernas, braços e abdome, gosto metálico na boca entre outras. Por isso a seguir teremos as orientações para você controlar esses níveis

A hemodiálise é um tratamento em que uma máquina realiza o trabalho dos rins, porém enquanto os rins funcionam 24h dia, eliminando todos os seus restos, a hemodiálise faz esse trabalho durante 12h por semana, entre uma sessão e outra as substâncias tóxicas vão se acumulando, não sendo totalmente eliminadas.

De acordo com a nutricionista, Ana Paula Pereira a dieta é muito importante no seu tratamento, pois ajuda a evitar esse aumento das substâncias tóxicas, fazendo com que melhore assim sua qualidade de vida.

Para que a alimentação atenda as necessidades ela deve ser bem equilibrada. Agora saiba quais são os nutrientes que estão na sua alimentação e como devemos utilizá-los:

 

Calorias

O seu corpo precisa de uma quantidade exata de calorias todos os dias. Se você ingerir uma quantidade mais baixa, você pode perder peso e enfraquecer. Se você ingerir calorias demais, vai aumentar o seu peso, podendo levar à obesidade e doenças associadas.

 

Carboidratos

São a principal fonte de energia para o seu corpo, necessária para desenvolver funções como: respirar, andar, fazer atividade física, pensar, circulação do sangue, respirar.

Alimentos ricos em carboidratos: cereais (arroz, massa, aveia e trigo) leguminosas (feijão, grão de bico, soja e lentilha). Frutas em geral e verduras.

 

Gorduras

São usados como fonte de energia também quando não há carboidratos suficientes. Também possuem a função de transportar algumas das vitaminas essenciais para dentro do nosso corpo. Alimentos ricos em lipídeos: manteiga, requeijão, margarina, maionese, molhos para saladas, óleos, sementes e nozes. Se o seu colesterol estiver aumentado, controle o tipo de gordura que deve estar na sua dieta.

 

Proteínas

São muito importantes para o nosso corpo, pois são utilizadas para o crescimento e desenvolvimento do nosso organismo e para a formação de células de defesa que combatem infecções.  Durante as sessões de hemodiálise se perde algumas substâncias que fazem parte das proteínas, portanto elas devem ser repostas pela alimentação.

Alimentos ricos em proteínas: carne vermelha, frango, clara de ovo, leite, queijos, iogurte, leguminosas (feijão, soja, grão de bico, lentilha), peixes e vísceras.

 

Líquidos

O rim é o órgão responsável pelo controle dessa água corporal. Na insuficiência renal o rim não consegue excretar a água em excesso, fazendo com que ela fique acumulada no seu corpo. Isso faz com que você apresente inchaço (edema) nas pernas, tornozelos, mãos e também falta de ar.

O acúmulo de líquidos no corpo pode aumentar a pressão sanguínea, tornar a sessão de diálise mais demorada e pior, pode levar ao acúmulo de líquidos no pulmão (edema pulmonar) e sobrecarga do coração ocasionando até uma parada cardíaca

A quantidade de água que você poderá tomar, vai depender basicamente da quantidade da urina que você eliminar (geralmente uma garrafa de 500 ml mais os líquidos de café da manhã e café da tarde).

Você possui um peso seco, ou seja, é o  peso sem o excesso de líquidos, com o qual você deve estar sentindo-se bem, sem inchaços, com pressão arterial normal. Esse peso deve ser atingido ao término de cada sessão de hemodiálise.

 

BOX

A especialista Ana Paula também ressalta as dicas para controlar a sede:

•          Quando sentir a boca seca, coloque um pedaço de limão na boca para estimular a saliva ou utilize balas azedas para umidecer a boca.

•          Substituir o refrigerante por uma limonada (incluída na prescrição de líquidos) pode diminuir consideravelmente sua sede.

•          Faça bochecho ou enxágue a boca com água fria, mas não engula;

•          Acrescente gelo na sua garrafa de água, isso ajudará a diminuir a sua sede

•          Para “matar” a sede, coloque uma pedra de gelo na boca, mas não engula a água;

•          Adicione gotas de limão na sua água (de preferência garrafas de água);

•          A quantidade de líquido que você pode ingerir depende da quantidade de urina que você fizer por dia, portanto siga sempre sua orientação;

•          Prefira líquido gelado que “mata” mais a sede do que o natural;

•          Escolha comer uma fruta gelada do que beber um suco;

•          Use pouco sal e evite temperos industrializados para preparar a comida, alimentos salgados aumentarão a sua sede, portanto diminua o consumo de alimentos e temperos industrializados;

•          Evite os alimentos que aumentam a quantidade de sódio (sal) da alimentação: bacon ou toucinho, salgadinhos tipo Cheetos, salgadinhos de lanchonete, charque, salsicha, salsichão, lingüiça, mortadela, presunto, salame, hambúrguer e quibe prontos, peixes de água salgada ou processados (atum, sardinha, bacalhau), enlatados e conservas, queijos em geral, caldos de galinha ou carne, sopas de pacote, molhos prontos;

•          Faça pedras de gelo com limão (descontando da quantidade de liquido diários) e quando estiver com sede chupe pedrinhas de gelo;

•          Utilize copos e xícaras pequenas, pois induzirá a reduzir a ingestão de líquidos;

 

Controlando o sal

Ana Paula destaca que a ingestão excessiva de sal pode fazer com que aumente a sede, eleve a pressão arterial, causa edema em geral (inchaço) inclusive edema pulmonar (acúmulo de água nos pulmões), podendo também piorar as funções cardíacas.

“Diminua a quantidade de sal preparo dos alimentos e não use temperos industrializados, evite embutidos: salsicha, linguiça, mortadela, salame, salsichão, mortadela, salgadinho de pacote, alimentos em conserva em geral. Evite: alimentos pré-prontos (como pizzas, lasanhas congeladas, macarrão instantêneo, sopas prontas), temperos industrializados, bolachas recheadas, salgadinhos (risoles, coxinhas, pastéis)”, explica.

A especialista enfatiza que para melhorar o sabor dos alimentos utilize os temperos naturais: alho, cebola, pimentão, tomate, salsinha, orégano, noz moscada, manjericão, azeite de oliva.

Outra opção exposta pela profissional é o controle de potássio na insuficiência renal crônica é de extrema importância, pois há redução de sua excreção (eliminação)  e consequentemente se elevando no organismo podem ocorrer arritmias cardíacas, parestesias (formigamentos), confusão mental, dores musculares e dificuldades respiratórias.

 

Sinais de potássio elevado no sangue:

- Fraqueza muscular ou sensação de pernas “travando”;

- Batimentos cardíacos irregulares (palpitação);

- Batimentos cardíacos irregulares podem fazer seu coração parar;

Quase todos os alimentos são ricos em potássio, mas são mais presentes em frutas, verduras e legumes, argumenta a nutricionista. “Estes alimentos não podem ser retirados totalmente do cardápio, pois são fontes de fibras que ajudam na função intestinal e contem vitaminas e minerais importantes para a função do organismo”, explica.

Controle do Fósforo:

Evite:

•          chás e café (tipo Nescafé) ;

•          outras carnes: sardinha, miúdo (frango), fígado de vaca, lingüiça, salsicha, presunto, salame, moela, peito de peru;

•          amendoim e preparações à base de amendoim, (como pé de moleque) castanha de caju, nozes, avelã;

•          refrigerante à base de cola ;

•          cerveja;

•          chocolate;

•          doce de leite;

•          sorvete;

•          temperos industrializados;

•          Refeições pré-prontas.

•          lanches e pizzas

Quelante de fósforo = Carbonato de cálcio ou Renagel

•          É um medicamento que tem a função de evitar que o fósforo presente nos alimentos (principalmente os de origem animal)  vá para o sangue. Ele “gruda no fósforo que está presente no alimento e parte desse fósforo eliminado pelas fezes, já que por sua função renal estar debilitada ele não é eliminado pelos rins (pela urina como deveria).

•          Ele deve ser tomado junto com as principais refeições, pois são as que você consome (carne, ovos, leite e derivados desses alimentos).

•          Não esqueça de utilizar seu quelante conforme a prescrição, assim seus você evitará sintomas como:coceira, dor óssea, fazendo com que você se sinta melhor!

Deve ser tomado sempre que consumir os seguintes alimentos:

•          leite e seus derivados, como os diversos tipos de queijo;

•          carne bovina;

•          aves e ovos;

•          peixes;

•          cereais;

•          leguminosas (feijão, lentilha)

•          frutas;

•          O Carbonato de cálcio Não pode ultrapassar seis por dia e o Renagel não pode ultrapassar 9 -12 conforme orientação médica.

 

Observações

•          Cuide-se mais no fim de semana, pois você ficará mais um dia sem diálise.

•          Não falte a hemodiálise.

•          Todo mês você fará exames de sangue que serão acompanhados, caso tenha alguma mudança em sua dieta que precise ser feita você será informado.

•          Siga sempre sua orientação nutricional / cardápio, e qualquer dúvida entre em contato com a nutricionista.

•          Realize sua diálise regularmente.

•          Não esqueça de utilizar seu Carbonato de Cálcio conforme a prescrição do médico, esse medicamento ajudará a manter seus níveis de Ca normais e controlará os seus níveis de fósforo fazendo com que seu estado geral mantenha-se bem, evitando que você sinta coceira, dores ósseas e outros sintomas ligados à esses dois minerais: Fósforo e Cálcio.

•          A quantidade de líquidos que você poderá ingerir / dia, deve ser calculada pelo médico  e/ ou  nutricionista, portanto fique atento a sua diurese, pois é dela que  dependerá a sua restrição hídrica.

A especialista conclui dizendo que a aderência da dieta é um dos fatores mais importante para o bem estar do paciente. “A não aderência ao tratamento pode contribuir para o aumento de doenças associadas a insuficiência renal crônica”, finaliza.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Outras edições

Carregando...