ANO: 25 | Nº: 6208
20/03/2018 Cidade

Ao lado de Dilma, Lula é recepcionado por militância em Bagé

Foto: Jaqueline Muza/ Especial JM

ex presidente teve dificuldades para sair do ônibus
ex presidente teve dificuldades para sair do ônibus

por Jaqueline Muza

A caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Sul do Brasil teve início ontem, por Bagé. Acompanhado pela também ex-presidente, Dilma Rousseff, ele chegou à Rainha da Fronteira por volta das 10h30min, no Aeroporto Internacional Comandante Gustavo Kraemer, onde foi, inicialmente, recepcionado por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST). De lá, se dirigiu até o campus da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), onde foi recepcionado por militantes e simpatizantes.
Os três ônibus que serão usados pela caravana chegaram à Unipampa por volta das 10h45min. Antes da chegada, um caminhão de som apresentava músicas gaúchas e oportunizava a palavra para parlamentares que participaram do ato.
Enfrentando dificuldades para acessar o campus e acompanhados por uma equipe de seguranças, as duas lideranças políticas conseguiram ingressar na instituição de ensino, para uma visita, somente após alguns minutos. Os organizadores tentaram conter os apoiadores durante o trajeto, mas os militantes e simpatizantes queriam fotos e atenção dos ex-presidentes.
De acordo com o coordenador da caravana e integrante da executiva estadual e da Frente Brasil Popular, Nasson Sant’Ana, a visita iniciou por Bagé porque foi no governo do ex-presidente que foi criada a Unipampa. Segundo ele, foi montado um esquema de segurança porque o Brasil está entrando, de acordo com suas palavras, em um período "fascista" marcado por "um golpe" contra o povo. “Há repressão e um rompimento da lei. Nada é punido. Estamos vivendo um golpe parlamentar”, aponta.
Após Bagé, a caravana seguiu para Santana do Livramento, onde Lula teve um diálogo público com o ex-presidente uruguaio, Pepe Mujica. Hoje, ele estará em Santa Maria, onde haverá uma reunião com todos os reitores de universidades públicas do Estado. A caravana de Lula pelo Sul do Brasil deve percorrer 23 municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. 

Pronunciamentos e despedida
Após sair do interior das dependências da Unipampa de ônibus, Lula, Dilma e alguns parlamentares foram recebidos por uma multidão na parte externa da instituição. Um carro-som foi colocado ao lado do portão de acesso, a poucos metros da entrada do ônibus para facilitar o trajeto das lideranças.
Dilma foi a primeira a se pronunciar. A ex-presidente foi ovacionada e fez uma saudação especial às mulheres bajeenses. “Saúdo as mulheres corajosas, que trabalham e tem iniciativa”, disse.
A petista agradeceu aos companheiros de partido que deram apoio para a realização do evento e disse ter orgulho da criação da universidade durante a gestão de Lula. Ela ressaltou que durante seu governo foram liberados muitos recursos para os produtores rurais para custeio e investimento. Também, conforme sua fala, foram beneficiados os pequenos produtores e agricultores familiar.
Cartazes, faixas e muitas bandeiras do Partido do Trabalhadores, assim como de outras siglas, deram boas-vindas ao ex-presidente. Lula agradeceu aos participantes e disse que a caravana não iria realizar nenhum ato em Bagé. “A trajetória iria começar por Livramento, mas não podíamos pousar no município e não visitar a universidade criada pelo nosso governo”, salientou.
O ex-presidente lembrou que a Unipampa foi anunciada no dia 27 de julho de 2005 e hoje são mais de 10 campi que dão oportunidade para cerca de 13 mil alunos. O petista disse que as manifestações contrárias à sua vinda se deram devido ao medo que a elite tem que ele se candidate à presidência e vença. “Hoje o Brasil não é somente exportador de soja, mas compete com tecnologia. Investir em educação é uma necessidade”, pondera.Lula ressaltou que virá muitas vezes a Bagé, e que em toda sua vida pública aprendeu a respeitar os outros. Para ele, todas as medidas tomadas pelo atual governo cortam o benefício do povo. Por fim, agradeceu o carinho dos bajeenses. “Quem hoje está contra, amanhã estará aplaudindo”, finalizou.
A visita encerrou por volta das 12h15min.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...