ANO: 25 | Nº: 6310
20/03/2018 Cidade

Manifestações contra ex-presidente assinalam posição de ruralistas e empresários

Foto: Divulgação

Prefeito Divaldo Lara também se posicionou no ato
Prefeito Divaldo Lara também se posicionou no ato

por Rochele Barbosa

Uma manhã conturbada, turbulenta e de muitas manifestações marcou a visita do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acompanhado da também ex-presidente Dilma Rousseff e dos ex-governadores Tarso Genro e Olívio Dutra, todos do Partido dos Trabalhadores (PT), além de parlamentares do PT em visita à Universidade Federal do Pampa (Unipampa), ontem, em Bagé. Os opositores firmaram presença no local, com várias entidades envolvidas no protesto.

Cartazes, bandeiras do Brasil e do Rio Grande do Sul, e até mesmo o “pichuleco” de Lula vestido de presidiário, foram levados por ruralistas, empresários e representantes de entidades sindicais que repudiavam a presença de Lula em Bagé. Os militantes contrários à visita também usavam, alguns, camisas e adesivos em apoio ao deputado federal e pré-candidato presidencial Jair Bolsonaro (PSL-RJ). Os ruralistas estavam com tratores, cavalos e caminhões na rua que dá acesso à Universidade Federal do Pampa (Unipampa).

O organizador do protesto contra o ex-presidente, Rodrigo Moglia, presidente da Associação e Sindicato Rural de Bagé, destacou que os verdadeiros trabalhadores repudiam a vinda de um homem que foi julgado e condenado por corrupção. “Bagé e a região é produtora e estamos em época de colheita com nossos tratores para demonstrar que isso que é trabalho, de homens honestos e de bem. Estamos aqui (na universidade) em um protesto pacífico para marcar que somos contra essa visita, Bagé é terra de produtores e trabalhadores”, completou.

Móglia também ressaltou que é uma vergonha uma instituição pública como a universidade receber a visita de um condenado. “Também repudiamos o deputado estadual Luiz Fernando Mainardi que trouxe eles para Bagé, eles não nos representam. Temos que eliminar da política esse tipo de político corrupto”, acrescentou o presidente do Sindicato Rural.

O presidente da Associação de Jovens Empresários, Vinícius Assumpção, também se manifestou e disse que em Bagé não aceita “ladrão”. “Quem veio aqui repudiar essa visita são trabalhadores, que deixaram seu comércio, sua propriedade, e vieram de tratores para mostrar que não queremos essa visita, os estudantes aqui querem honestidade”, argumentou.

Nerildo Lacerda, presidente do Sindilojas, destacou o movimento da classe trabalhadora empresarial que sustenta o País. “A comunidade de bem não vai mais ficar calada, não queremos a presença desses corruptos aqui”, enalteceu.

O prefeito de Bagé, Divaldo Lara, também participou da manifestação contrária à visita do ex-presidente Lula. Ele disse que se houvesse depredação de outdoors por parte de correligionários e militantes do PT iria cobrar de Mainardi, que foi quem organizou a visita de Lula. “O povo de Bagé está de parabéns, pois fizemos uma manifestação organizada, mais numerosa, pacífica e mostramos que somos fortes e não toleramos Lula 'ladrão' e seus corruptos”, complementou.

Mobilização

Anteriormente ao ato, no final de semana, os organizadores  da manifestação contra a presença de Lula em Bagé haviam realizado panfletagem na avenida Sete de Setembro e colocado outdoors na cidade, além de mobilizar entidades.

A Câmara de Vereadores de também fez uma moção de repúdio contra a visita do ex-presidente, assinada por 14 dos 17 vereadores da atual legislatura. Proposto pelo progressista Antenor Teixeira, o documento fora emitido para lideranças petistas, como forma de manifestar a posição do parlamento local sobre a agenda.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...