ANO: 25 | Nº: 6332

Dilce Helena Alves Aguzzi

dilcehelenapsicologa@gmail.com
Psicóloga
20/03/2018 Dilce Helena Alves Aguzzi (Opinião)

Todo excesso esconde uma falta

Shakespeare em Hamlet explica com maestria como é ruim a interpretação daquele ator que abusa do gesto, exagera nas caras e bocas e faz com falsidade quase comovente alterações de olhares e entonação de voz. É o caso clássico de exagero do gesto que esconde a falta de talento.

Em todas as áreas vivemos a era dos excessos. Quem sabe analisar alguns deles nos proporcione autoconhecimento e reflexão para alterar a única coisa que temos algum controle: nosso comportamento!

Façamos, então, esse exercício:

Excesso de fala esconde pouca reflexão.

Muita agressividade esconde insegurança extrema.

Superexposição encobre pouca vivência verdadeira.

Falar mais que ouvir encobre pouca capacidade de argumentação.

Gritar com seu interlocutor abafa pouca consistência na opinião.

O fanatismo religioso esconderia o quê, além de nossa miséria espiritual?

A intolerância ao diferente o que esconde? Escassez de raciocínio, de autoestima e de autoaceitação ou é dificuldade de se perceber como humano que ela encobre?

O que dizer então do excesso no culto à imagem, ao físico, ao parecer em detrimento do ser?

O consumismo, consumo ao extremo, seria uma forma de esconder o que, além de escassez afetiva?

Continue a lista, ousando dizer quais são os seus excessos e o que tentam encobrir.

Se a tarefa for verdadeira e individual o crescimento pode ser profundo.

 

OLHO

A intolerância ao diferente o que esconde?

 

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...