ANO: 25 | Nº: 6330
30/03/2018 Cidade

Marcele Antoniazzi toma posse como juíza titular de Vara do Trabalho

Foto: Tânia Meinerz/EspecialJM

Procurador da Urcamp, Luiz Carlos Pierucci, desembargador Manoel Cid Jardon, Marcele, presidente do TRT da 4ª Região, Vania Mattos, e procurador Geral da Urcamp, Álvaro Meira
Procurador da Urcamp, Luiz Carlos Pierucci, desembargador Manoel Cid Jardon, Marcele, presidente do TRT da 4ª Região, Vania Mattos, e procurador Geral da Urcamp, Álvaro Meira
A magistrada Marcele Cruz Lanot Antoniazzi tomou posse como juíza titular de Vara do Trabalho na terça-feira. A solenidade ocorreu no salão nobre da Presidência do TRT-RS, em Porto Alegre, e contou com a presença de servidores, magistrados, advogados, amigos e familiares de Marcele. A juíza, que desempenhava atividades na comarca de Bagé, atuará na 4ª Vara do Trabalho de Rio Grande.
Natural de Catuípe (RS), a magistrada possui graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Foi servidora da Justiça do Trabalho gaúcha, entre julho de 1994 e maio de 2005 e ingressou na magistratura trabalhista em junho daquele ano, na Rainha da Fronteira.

Em seu pronunciamento, relembrou sua trajetória como servidora e juíza no TRT-RS, e agradeceu a colegas, familiares e amigos que lhe prestaram apoio. “Essa experiência e convívio com servidores iniciantes e outros mais antigos me trazem a convicção de que, embora solitário, o juiz, no momento de proferir suas decisões, necessita do esforço colaborativo dos servidores para alcançar uma prestação jurisdicional célere e eficaz”, declarou.
A juíza fez críticas a alterações da Reforma Trabalhista e ao fato de elas terem sido formuladas sem debate prévio, afirmando que as mudanças trazem violações ao embasamento principiológico do Direito do Trabalho e à proteção de garantias sociais previstas no texto constitucional. Ao falar sobre sua experiência na magistratura, Marcele Antoniazzi ressaltou que o juiz deve se pautar no princípio da imparcialidade, mas não pode se manter indiferente aos acontecimentos da comunidade em que está inserido. “Isso resulta em maior conhecimento dos anseios das partes para chegar à conciliação dos litígios, que é missão primordial do juiz do Trabalho”, afirmou.  

A presidente do TRT-RS, desembargadora Vânia Cunha Mattos, parabenizou a juíza pela promoção e elogiou sua trajetória na Justiça do Trabalho da 4ª Região. “A juíza Marcele sempre foi dedicada, criteriosa e comprometida com o trabalho. Ela reúne as grandes qualidades dos juízes que, por várias gerações, estabeleceram suas atuações em cidades muito distantes, mas importantes, e que sem dúvida refletem a diversidade do nosso Estado”, declarou. A presidente também afirmou que o tempo de atuação de Marcele como juíza substituta proporcionou uma sólida formação para o enfrentamento dos novos desafios com os quais irá se deparar na titularidade. “É gratificante ter em nossos quadros pessoas que refletem exatamente os valores nos quais sempre acreditamos”, concluiu. 

Além da presidente Vânia Cunha Mattos, integraram a mesa da solenidade o vice-presidente do TRT-RS, Ricardo Carvalho Fraga; a diretora da Escola Judicial, desembargadora Carmen Izabel Centena Gonzalez; o representante da OAB/RS, José Fabrício Furlan Fay; o diretor cultural da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 4ª Região (AmatraIV), desembargador Marcos Fagundes Salomão; e a diretora do Foro Trabalhista de Porto Alegre, juíza Anita Job Lübbe. 

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...